O Preço de Uma Lição - Federico Devito e Gutti Mendonça

"Ali, descobri o significado da palavra amor. Soube finalmente porque existem tantas explicações de tantos poetas diferentes para uma mesmo palavra. É impossível explicar, é algo que só pode ser entendido por quem sente. É uma alegria que não se imagina que possa ser sentida com tanta intensidade." (p. 97)
O Preço de Uma Lição é um livro sobre amizade, amor, descobertas e crescimento.

No primeiro capítulo conhecemos quatro crianças que se aproximam por causa de uma enrascada na escola. Eles se tornam grandes amigos e essa amizade vai durar por toda a vida. Estamos falando de Manuela, Cláudia, Paulinho e o Jovem Paulistano, que será o protagonista do livro.

Jovem Paulistano porque o pobre rapaz simplesmente não tem nome e essa foi só a primeira coisa que me incomodou no livro. Achei estranhíssimo ler um livro sem nomear seu personagem principal.

Mas seguindo, o Jovem Paulistano é um rapaz de muita sorte, ele é bonito, tem muitos amigos é popular e tudo para ele vem com uma facilidade incrível. Tudo ele consegue sem grandes esforços e o problema é que ele não parece perceber a sorte que tem, ele não reconhece que quem está a sua volta tem que ralar para conseguir realizar seus sonhos e talvez por isso ele seja tão egoísta. Nos primeiros relacionamentos que ele teve, agiu muito mal e provocou muito sofrimento nas garotas.

Até que ele se apaixona por Juliana, uma menina linda e doce, mas seu romance tem tudo para dar errado. A garota mora em outra cidade e é cinco anos mais nova do que o Jovem Paulistano, além disso, sua fama de conquistador faz com que todos desconfiem de suas intenções para com a menina. Então ele tem que ralar muito para manter esse namoro, encarar viagens, fazer concessões, ser compreensivo - tudo o que ele não foi com suas outras namoradas! Rá!

Mas acontece que tanto carinho e cuidado acaba sufocando a Juliana, que decide terminar o namoro. O que na minha modesta opinião demorou muito, pois o nosso Jovem Paulistano simplesmente surta e cerca a garota por todos os lados com ciúmes e cobranças. Assim não há cristão que aguente, né? E agora o rapaz vai ter que aprender a correr atrás se quiser ter seu grande amor de volta.
"Era sempre a mesma coisa: eu reclamava pelos mesmos motivos e cobrava uma atenção que já tinha. Minha imaturidade era apenas momentânea. No dia seguinte, sempre percebia o que tinha feito, mas nunca aprendia a lição, pois Juliana sempre me perdoava instantaneamente." (p. 203)
A história é até bem bonitinha, muito fofa e tenho certeza que dezenas de leitores vão se identificar com os personagens. A linguagem é jovem, adolescente mesmo, então a leitura é fácil. E, se você curtiu os anos 2006 a 2008 vai matar saudade da tecnologia e das redes sociais da época, como o Orkut, mandar scraps e depoimentos, MSN e coisas assim.

Mas por outro lado, teve muita coisa que me incomodou. Além da falta de nome do protagonista, a narrativa também é muito intrincada, parece que não deslancha. É tudo muito detalhado, principalmente as datas e os diálogos que são tão longos que chegam a ser cansativos, tem muita coisa que não precisava ser dita. Dá a impressão de estamos andando em círculos pela vida do garoto e que nada está acontecendo. Tem momento em que eu me sentia como se estivesse lendo um roteiro mesmo, como todas as ações descritas.

Outra coisa que me irritou foram as Marcelas. Parece que todas as amigas dele se chamam Marcela e todas loucas para ficar ele, virou uma confusão na minha cabeça de Marcela Prado, com Marcela Franz, com Marcela Keller, com Marcela irmã da Melissa - será que esqueci alguma?

Os personagens também não me conquistaram, começando pelo próprio Jovem Paulistano. O tempo todo ele é elogiado por seus amigos por ser uma pessoa interessante e bem humorada, mas ele não teve nenhuma ação que demonstrasse isso, muito pelo contrário. Na verdade eu achei ele bem egoísta e muito metidinho mesmo, e em nenhum momento ele teve outra prioridade que não fosse ele mesmo. Mas pior que ele é a Juliana, a personagem mais chata que eu já vi! Muito sonsa, não se impôs nenhuma vez, não defendeu sua opinião e seus diálogos se resumiam a "não sei" e "sei lá" e perguntas repentinas para testar o amor do garoto. Sinceramente, não sei o que ele viu nela.

Mas entre um mocinho muito meloso e cheio de mimimis, uma mocinha totalmente sem sal e várias garotas mega ciumentas (sim, por que o Jovem Paulistano olha para qualquer garota e ela já jura amor eterno, principalmente se for uma Marcela) se salvam alguns personagens, que são até legais, como o Paulinho ou a Anita.

Bom peeps, espero não estar sendo muito negativa. Quero que entendam que essa é só a minha opinião, e eu sou apenas uma leitora como qualquer um de vocês. Tenho certeza de que se você estiver numa onda de romance total, vai amar o livro. A mim não agradou.

B-jussss! ♥
;-p

Comente com o Facebook:

Frase da Semana

"Ler é comer e beber. O espírito que não lê emagrece como um corpo que não come."

Victor Hugo

QUEM LÊ, SABE PORQUÊ - Copyright © 2013 - Todos os Direitos Reservados