Primeiro Amor - James Patterson


PATTERSON, James. RAYMOND, Emily. Primeiro Amor. Tradução: Elaine Cristina Albino de Oliveira. Ribeirão Preto, SP: Editora Novo Conceito, 2014. 240 páginas. Título original: First love.

"Era estúpida, irritantemente impossível. Não me admira que eu não tenha escrito nada decente por tanto tempo. Eu não conseguia nem mesmo dizer a um garoto que o amava. Que, toda vez que olhava em seus olhos, sentia como se estivesse me afogando e sendo salva ao mesmo tempo. Que, se tivesse que escolher entre morrer amanhã e passar o resto da vida sem ele, eu seriamente consideraria optar pela morte iminente." (p. 118)

Sempre que sei de lançamento do livros de algum autor renomado, eu gosto de ler para entender a razão de tanto clamor. Quero saber se vou entrar para o fã clube ou se vou ser do grupo que fica torcendo o nariz e discordando da maioria. Essa é a segunda chance que dou a James Patterson, e é a segunda vez que torço o nariz para ele...

Axi Moore é uma boa garota. Certinha, estudiosa, nunca matou aula e vive fazendo citações literárias. Sendo assim tão comportada é difícil achar quem não goste dela. Mas o que ninguém sabe é que tanta docilidade esconde muita dor. Sua mãe a abandonou depois que sua irmã mais nova morreu de câncer e seu pai se tornou um alcoólatra crônico. Sozinha, ela tem que cuidar de si, de sua casa e de seu pai.

Talvez por isso ela decida fugir de casa e mergulhar em uma road trip ao lado de seu melhor amigo Robinson. Ele é seu melhor amigo há anos, mesmo tendo uma personalidade tão diferente da sua. Ele é inconsequente, aventureiro e muito bem humorado... além de lindo. Consciente de sua beleza, Robinson não tem medo de usá-la para conseguir o que quer, e por isso Axi sempre o chama de Patife.

Assim, a Careta e o Patife vão partir juntos em uma viagem que vai mudar suas vidas ao ensiná-los a amar pela primeira vez.

* * * * *

Dá para acreditar que um livro com um enredo desses possa ser ruim? Pois acreditem peeps, James Patterson conseguiu esse proeza! Com personagens inexpressivos e uma narrativa superficial vocês alcançam esse feito sem problemas.

O livro é dividido em duas partes e narrado em primeira pessoa pela Axi. Na primeira parte, nos é apresentada a vigem dos dois com suas várias paradas, todas elas meticulosamente preparadas pela Axi para que tivessem um significada especial para os dois. Ela até tenta viver intensamente cada parada, mas lhe falta ânimo e coragem para se entregar ao amor e isso faz com que o livro fique maçante e tedioso.

Os dois são completamente inconsequente e repletos de atitudes infantis, mas o que mais me incomodou nessa parte é que Axi, que no começo é descrita como uma "Menina Careta" se transforma, num passe de mágica, em uma "Bandida sem Escrúpulos". Eu até entendo a intenção da viagem dos dois, mas não há como concordar que o roubo seja uma atitude correta, principalmente em um livro voltado para adolescentes. Se pelo menos, em algum momento, eles tivessem sido responsabilizados pelas suas ações, talvez até tivesse algum fundamento, mas isso não ocorreu e ambos seguiram roubando sem que nada lhes acontecesse.

Quando comecei a ler a segunda parte do livro confesso que levei um susto com a virada que a história deu. Até pensei: agora vai! Mas infelizmente me enganei novamente, pois a história que já começou de uma forma absurda e totalmente inverossímil só piorou, até chegar a um final previsível.

O livro abordou um assunto muito complexo de uma maneira muito superficial e inconsequente, a sensação que deu é que ele foi escrito às pressas e que os autores não quiseram se dar ao trabalho de fazer uma pesquisa eficaz e consistente sobre o assunto, fazendo com que a história ficasse totalmente absurda. Pior, personagens importantes foram simplesmente eliminados da história, deixando uma lacuna imensa e fazendo com que ela perdesse qualquer possibilidade de coerência. Em momento algum a história falou dos pais de Axi e Robinson, como se fosse totalmente normal dois adolescentes sumirem assim. Que mãe abandona uma filha doente? Que pai mergulha no alcoolismo sabendo que filha tem pouco tempo de vida e precisa dele? Que pais deixam um menino de 17 anos, doente, tomar as própria decisões e viver sozinho? É como se autor quisesse nos fazer bobos, ao ocultar os pais só para não ter o trabalho de desenvolver a história a contento.

Patterson poderia ter escrito um livro realmente significativo sobre um tema que desperta interesse e que geralmente rende muita emoção aos leitores, mas com uma narrativa superficial e um desenrolar inconsistente, ele conseguiu "matar" a história.

Lembrando que essa é apenas a minha opinião sobre o livro, e que muita gente amou a história. Não desaconselho a leitura, mas leiam por sua conta e risco e depois não digam que não avisei, rsrs.

O Autor


James Patterson é um romancista nova-iorquino conhecido por seus livros de suspense, mistério e magia que agradam tanto aos adultos, quanto aos adolescentes. Ícone da cultura pop, Patterson já apareceu na série Os Simpsons e fez uma ponta, como ele mesmo, em Castle.
Ganhador do prêmio Autor do Ano (2010) da Forbes, é também de James Patterson o recorde de escritor com o maior número de títulos entre os mais vendidos (76) do The New York Times.
Casado com Susan Patterson, o casal vive a maior parte do tempo na Flórida.

Avaliação (2/5)





B-jusssss! ♥
;-p

Comente com o Facebook:

3 comentários :

  1. Oi, tudo bem?
    Li esse livro e achei a mesma coisa que você, eles são muito inconsequentes, não precisava de todos aqueles roubos e a narrativa também podia ter explorado melhor alguns pontos da história.
    Fiquei decepcionada com esse livro.
    Beijos... Samantha Culceag.
    sopramenores.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Oi Nina!
    Eu não consegui gostar desse livro o.O
    O autor mistura vários assuntos e nenhum deles é tratado com profundidade. Em vários momentos, fiquei irritada com os personagens, rs.
    Bjks!

    ResponderExcluir
  3. Tô no chão, minhas expectativas estavam super altas. O único livro do gênero que li do James foi O Diário de Suzana para Nicolas, logo, pensei que ia ser tão bom quanto. Vixe :X Lerei em breve pra tirar conclusões...

    http://www.ohmydogestolcombigods.com/

    ResponderExcluir

Oi! Muito obrigada pela visita!
Deixe aqui seu comentário, vou adorar receber!
B-jussss! ♥
;-p

Frase da Semana

"Ler é comer e beber. O espírito que não lê emagrece como um corpo que não come."

Victor Hugo

QUEM LÊ, SABE PORQUÊ - Copyright © 2013 - Todos os Direitos Reservados