O Rouxinol - Kristin Hannah


HANNAH, Kristin. O Rouxinol. Tradução Cláudio Carina. São Paulo: Arqueiro, 2015. 432 páginas. Título original: The nightingale. Skoob.

Sinopse:
"Neste épico passado na França da Segunda Guerra, duas irmãs se afastam por discordarem sobre a ameaça de ocupação nazista. Com temperamentos e princípios divergentes, cada uma delas precisa encontrar o próprio caminho e enfrentar questões morais e escolhas de vida ou morte.” - Christina Baker Kline, autora de O trem dos órfãos

França, 1939: No pequeno vilarejo de Carriveau, Vianne Mauriac se despede do marido, que ruma para o fronte. Ela não acredita que os nazistas invadirão o país, mas logo chegam hordas de soldados em marcha, caravanas de caminhões e tanques, aviões que escurecem os céus e despejam bombas sobre inocentes.Quando o país é tomado, um oficial das tropas de Hitler requisita a casa de Vianne, e ela e a filha são forçadas a conviver com o inimigo ou perder tudo. De repente, todos os seus movimentos passam a ser vigiados e Vianne é obrigada a fazer escolhas impossíveis, uma após a outra, e colaborar com os invasores para manter sua família viva.Isabelle, irmã de Vianne, é uma garota contestadora que leva a vida com o furor e a paixão típicos da juventude. Enquanto milhares de parisienses fogem dos terrores da guerra, ela se apaixona por um guerrilheiro e decide se juntar à Resistência, arriscando a vida para salvar os outros e libertar seu país.

Se tem uma preferência literária que tenho muito forte em mim são os romances de guerra. Mais do que isso, amo os romances que mostram a guerra de uma maneira que ela não é contada nos livros de história, a guerra cotidiana, que é lutada pelos cidadão comuns que buscam sobrevier. Histórias que não falam de generais e heróis, e sim de homens e mulheres que também travaram essas batalhas mas que não ganharam medalhas por isso. E O Rouxinol é esse tipo de romance.

Vianne e Isabelle são irmãs mas não poderiam ser mais diferentes. Elas perderam a mãe muito cedo, vítima de uma doença, e o pai as abandonou, tomado pelo luto e pelo alcoolismo. Cresceram sozinhas, aos cuidados de uma preceptora fria em uma fazenda no interior da França. Vianne se casou cedo e encontrou consolo nos braços de Antoine, mas Isabelle vagou sozinha por internatos, sendo expulsa e enviada de volta pelo pai.

Quando a Segunda Guerra começa, elas tem maneiras completamente diferentes de enfrentar a situação. Vianne abaixa a cabeça e só pensa em proteger a filha e sobreviver, até que o marido volte para casa. Isabelle, impetuosa e inconsequente, é movida pela paixão e só quer ajudar a França a resistir aos nazistas, assim ela não pensa duas vezes antes de abandonar a irmã e se juntar à Resistência Francesa.

A partir daí, começa uma das mais belas histórias que já li sobre a guerra. Sofri muito com as duas irmãs, que se estranham e não sabem o quanto se amam. Sofri que a inocência e credulidade de Vianne, que em alguns momentos chega a parecer tola. Sofri com a imprudência de Isabelle, que não tem medo de nada e se joga de cabeça na guerrilha contra os nazistas, realizando missões que pareciam impossíveis até para os guerrilheiros mais experientes. Sofri acompanhando o amadurecimento das duas, talhado a ferro e fogo, e deixando de ser jovens ingênuas para se tornarem mulheres marcadas pela guerra.

A narrativa se alterna entre passado em presente. No presente, em primeira pessoa, uma das duas irmãs, não sabemos qual, está nos Estados Unidos e recebe um convite para um encontro de passeurs (pessoas que ajudaram os pilotos aliados a fugires) pelos cinquenta anos do fim da guerra. No passado, a narrativa é em terceira pessoa, e acompanha a vida de vários personagens.

Enfim, O Rouxinol é um dos livros mais tocantes, sensíveis e emocionantes que já li. Chorei muito durante a leitura, mas ao mesmo tempo me senti invadida pelo sentimento de esperança e amor pelos personagens. Mais do que um livro sobre guerra, esse é um livro sobre família, sobre o amor incondicional e sobre os sacrifícios que somos capazes de fazer pelos que amamos. É principalmente uma homenagem à mulheres como Vianne e Isabelle que, mesmo longe dos fronts, lutaram essa guerra e com seus esforços conseguiram salvar milhares de vidas. Leiam!

A Autora

Kristin Hannah é autora de mais de 20 livros, que já ultrapssaram 12 milhões de exemplares vendidos no mundo. Ela largou a advocacia para se dedicar à sua grande paixão: escrever. No Brasil, já publicou Quando você voltar e Amigas para sempre (Editora Arqueiro), alem de Jardim de inverno, Por toda a eternidade e O lago místico (Novo Conceito). Tem um filho e mora com o marido em Baindrige Island, no noroeste dos Estados Unidos. O Rouxinol será adaptado para o cinema pela TriStar Pictures.

Avaliação (5/5)






B-jusssssss! ♥
;-p

18 comentários:

  1. Oiii, eu tenho tanta curiosidade em ler este livro, acho a edição impecável e todo o enrendo.

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  2. Ola Nina esse livro foi indicado como um dos melhores de 2015, estou bem curiosa com a escrita da autora que tem muitos elogios, laços de irmãs sempre me chamam atenção devido ao laço que tenho com meus irmãos, tendo ainda um cenário de guerra o que me encanta devido a toda dificuldade, quero saber como será o destino dessas duas irmãs. beijos

    Joyce

    www.livrosencantos.com

    ResponderExcluir
  3. Eu quase não leio nada da Kristin porque morro de tanto chorar, esse livro em especial deve ser maravilho, porque a história é narrada na segunda guerra e tudo que é nessa época me faz partir o coração.

    Beijinhos, Helana ♥

    In The Sky, Blog / Facebook In The Sky

    ResponderExcluir
  4. Nina, que história mais linda de amor fraternal. Parece ser impossível não se encantar e envolver com a história e olha que eu nem gosto de romance de guerra, mas você falou com tanta paixão que deu curiosidade.

    Lisossomos

    ResponderExcluir
  5. Olá Nina, não conhecia o livro ainda, mas fiquei interessada pois adorei sua resenha, parabéns!


    Beijokas da Quel ¬¬
    Literaleitura

    ResponderExcluir
  6. Olá!

    Eu li e chorei rios com esse livro! Impossível não se encantar com as irmãs. Torci e sofri com Vianne e Isabelle, sem contar que, só de pensar que a Segunda Guerra existiu, é de cortar o coração.

    resenhaeoutrascoisas.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. Oie! O primeiro parágrafo da sua resenha já me deu a certeza de que essa obra é perfeita e preciso lê-la! Também adoro histórias que têm como cenário acontecimentos históricos. Acho que nunca li algo parecido com O Rouxinol, mas sua resenha me deixou muito empolgada e curiosa.
    Os lançamentos da Arqueiro são simplesmente maravilhosos! Sempre amei essa editora e, com certeza, eles arrasaram em mais um trabalho.


    Beijos, Fernanda Goulart.
    http://imperioimaginario.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  8. Olá, tudo bem?

    Sua resenha só me fez ter mais vontade de ler o livro, com certeza ele me ganhou, preciso dele. Sua resenha ficou ótima, super explicadinha... eu gostei bastante!

    http://garotareading.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Ana Paula Lima Miranda15 de janeiro de 2016 08:15

    Oiii!


    Ai que resenha linda <3 <3
    Eu ainda não li esse livro, mas já vi diversos elogios para a escrita e o enredo criado. Acho lindo quando nos entregamos a uma obra assim e nos encantamos mais ainda.
    Acho que nunca li nada que se passe na guerra.
    Essa capa está linda, parabéns pela resenha :D


    Beijinhos

    ResponderExcluir
  10. DEISE GABRIELA DE LARA15 de janeiro de 2016 12:56

    Maravilhosa sua resenha.

    O Rouxinol, me parece um livro emocionante,mesmo, só li resenhas positivas dele. o tema guerra, ou o que acontece com civis na guerra, me deixa bem curiosa, quero muito conhecer a história de Vianne e Isabelle.

    bjin

    http://reinoliterariobr.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Não conhecia,
    www.sagaliteraria.com.br
    www.facebook.com/asagaliteraria

    ResponderExcluir
  12. Oie, tudo bom?

    Gosto muito de leituras que se passam em períodos de guerra porque são carregadas de emoção. A premissa do livro me lembra um livro da Jojo Moyes, em que acompanhamos também duas mulheres. Não li nada da autora ainda, mas tenho certeza que ela tem a capacidade de emocionar o leitor com suas narrativas.

    Beijos,

    http://livrosyviagens.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Alessandra Fernandes20 de janeiro de 2016 12:09

    Nina, assim que vi o lançamento desse livro já adicionei aos meus desejados. Eu achei a capa desse livro extremamente bonita, e fiquei muito empolgada com a história, particularmente com as vidas tão diferentes de duas pessoas tão próximas como são as irmãs protagonistas. Livros sobre esse período histórico em específico sempre acabam mexendo profundamente comigo, principalmente por misturar a realidade aos fatos de ficção pela autora criados. A carga emocional do livro parece ser enorme, sou muito apegada a esse gênero literário, por isso com certeza será uma leitura que eu farei.

    ResponderExcluir
  14. Olá!

    Ai mais um resenha que leio desse livro e me deixa tocada. Ainda não tive oportunidade de ler nada da Kristen, mas quero muito ler, sempre vejo comentários positivos sobre suas histórias e o quanto elas contribuem para o crescimento. Apesar de eu não gostar muito de livros que tenham guerra, pois é bem triste, esse me interessou pela luta dos personagens diante da guerra. Sei que irei me emocionar muito lendo esse livro, e não vejo a hora de conferir!

    Beijos!

    http://lovesbooksandcupcakes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  15. Oi, tudo bem?
    Enquanto romances de guerra são os seus favoritos, eles são os que eu fujo correndo, passo bem longe rsrsrs
    Claro que são histórias lindas e emocionantes, principalmente quando é o caso desse livro que cita a verdadeira guerra, como você disse, lutada por homens comuns e não por soldados altamente treinados, mas eu sempre fico muito mal vendo toda aquele história carregada de dor ;(
    Infelizmente esse não seria o momento que eu leria essa obra, mas anotarei a indicação

    www.gordinhaassumida.com.br

    ResponderExcluir
  16. Eu A-M-O livros que se passam em torno das guerras que se houve, gente são emocionante, sem duvida alguma. E notei que a autora teve uma singularidade unica ao escreve essa historia, tocante, sem duvida. A capa também é uma coisa linda ♥
    Sem duvida alguma está na minha lista de desejados.

    ResponderExcluir
  17. Já estava bastante interessada em ler esse livro só pela sinopse, e agora depois de ver essa resenha fiquei ainda mais ansiosa em conferi essa história que parece ser ótima.

    ResponderExcluir
  18. Tenho bastante interesse em ler histórias que se passavam nas guerras para conhecer mais sobre esse campo, e entender um pouco sobre o porque de tudo que se aconteceu, e acho que esse livro retrata isso de uma maneira muito linda e emocionante. To muito interessada na leitura desse livro.

    ResponderExcluir

Oi! Muito obrigada pela visita!
Deixe aqui seu comentário, vou adorar receber!
B-jussss! ♥
;-p