A Casa da Praia - Nora Roberts


ROBERTS, Nora. A casa da praia. Tradução Paulo Afonso. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil. 2016. 476 páginas. Título original: Whiskey beach. Skoob.

Sinopse
“Advogado em Boston, Eli Landon acabou de passar por um ano intenso. Após ser inocentado pelo assassinato de Lindsey, sua ex-mulher, ele se muda para a casa desocupada de sua avó em Whiskey Beach: Bluff House, um casarão que há mais de trezentos anos atua como guardião inabalável do litoral... e de seus segredos. Tudo o que Eli deseja é um pouco de paz e tranquilidade para trabalhar em seu romance. Mas, quando chega em Bluff House, ele descobre que sua avó incumbira a casa e Eli aos cuidados da jovem vizinha, Abra Walsh. Eli acredita ser capaz de cuidar de si mesmo, mas, conforme se vê gradualmente cedendo às palavras amáveis e refeições apetitosas de Abra, os dois passam a se ver presos em um emaranhado que se estende por séculos e que tem seduzido aquele cujo maior desejo é destruir a vida de Eli de uma vez por todas.”

A cada livro que leio de Nora Roberts, mas eu me encanto com seu talento e sua capacidade de se reinventar a cada obra, sem perder sua essência. Isso porque, assim que você começa a leitura já identifica os traços da autora, e ainda assim é surpreendido a cada história. É como voltar para casa e ter sempre uma surpresa agradável lhe esperando.

Eu sei que tem muita gente que torce o nariz para a autora e eu até entendo as razões para isso: ler Nora Roberts é como entrar em um mundo de forçada perfeição. Todo mundo é privilegiado, bem resolvido, ama crianças e animais; e isso em demasia acaba cansando. Mas esse mundinho tão perfeito criado por Nora é perfeito para aqueles momentos em que tudo o que você precisa é se desligar dos problemas do mundo real e mergulhar de cabeça num belo romance.

Eli Landon teve um péssimo ano. Em meio ao processo de divórcio, ele descobre que há anos sua esposa Lindsay está tendo um caso e os dois brigam em público. No outro dia, ele a encontra morta na casa onde moram e passa a ser a principal suspeito. Como nada é provado, ele é inocentado no julgamento provocando a indignação do policial que investigou o assassinato e da família de Lindsay. É neste momento delicado que a avó de Eli sofre um grave acidente e ele vai ter que passar um tempo na antiga casa da família, em Whiskey Beach. Surge aí a oportunidade de encontrar a fuga e o alívio de que tanto precisa.

Abra Walsh também conheceu alguns momentos difíceis, mas em vez de deixar que as coisas negativas vençam, ela aprendeu a criar uma vida onde pode ajudar os outros. Quando uma de seus alunas de Yoga se machuca e é forçada a ir viver com a família até que se recupere, Abra é convidada a ajudar a cuidar da casa e, eventualmente, de Eli.

Não quero entregar muito da história, mas temos aqui mais um excelente trabalho da Nora. Uma história emocionante, que traz dois personagens tão diferentes e que consegue combiná-los em uma trama maravilhosa de insanidade, tentação e amor. Quando você lê um livro como este, escrito por um mestre, é difícil não se apaixonar.

Eu tenho um amor de longa data pelas heroínas de Nora, porque elas realmente vivem a vida. Elas lutam suas próprias batalhas e ganham suas próprias guerras e estão sempre prontas para apoiar aqueles que amam. Acho que parte do verdadeiro presente de Nora vem com a sua capacidade de escrever sobre as mulheres reais e Abra, se encaixa nessa categoria, com um estrondo retumbante. Ela é impulsionada por seu próprio poder pessoal e ela é a força deste livro.

Eli interpreta o guerreiro ferido com perfeição. Ele foi golpeado, a vida tem sido difícil para ele, mas ele tem uma família que o ama e o apoia. Entretanto, para conquistar sua redenção e libertação, ele vai ter que lutar pela própria inocência – especialmente quando tudo está contra ele. Mesmo que tenha sido absolvido pela justiça, muitos ainda o veem como culpado e o tratam com desconfiança, e é Abra quem vai guiá-lo por esse caminho de redescoberta.

A única parte que ficou meio devendo no livro foi o mistério policial, mas isso já não é mais novidade quando se fala de Nora Roberts. Ele sempre capricha no romance, mas o suspense fico um pouco me segundo plano e foi fácil descobrir o final. Mas mesmo não sendo surpreendida, me agradei com o final.

O livro é uma leitura excelente e vai agradar em cheio os fãs de um bom romance.

A Autora

Nora Roberts, autora número 1 da lista de best-sellers do mundo inteiro, com quase 200 romances publicados, é saudada como uma contadora de histórias que possui versatilidade e talento. Com centenas de milhões de exemplares de seus títulos impressos, detém a extraordinária média de venda de 40 livros por minuto. Doce vingança, Segredos, O amuleto, Resgatado pelo amor, Santuário e a Trilogia da gratidão (Movido pela maré, Arrebatado pelo mar e Protegido pelo porto), Trilogia da fraternidade (Laços de fogo, Laços de gelo, Laços de pecado), entre outros, foram publicados pela Bertrand Brasil. Sob o pseudônimo J. D. Robb escreve os livros de suspense que integram a série Mortal.

Avaliação (4/5)






B-jussss! ♥
;-p

Comente com o Facebook:

3 comentários :

  1. Oi Nina, sua linda, tudo bem?
    Eu sempre quis ler Nora Roberts, e li o Quarteto das Novas e me apaixonei completamente, cada personagem, cada vírgula dos livros foram escritos para mim, pois sou muito romântica e essa série foi só amor. Depois disso, qualquer livro que ela escreva vai direto para a minha lista. Não conhecia esse ainda, mas gostei do drama dos personagens e de como eles irão enfrentar o problema. Não vejo a hora de ler. Sua resenha ficou ótima!!!
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Cheguei a ler um romance da Nora, mas ele tendia pro policial. O problema é que ela misturou demais os gêneros e o livro não teve foco, o mistério policial foi óbvio demais, a parte romântica estava erótica e forçada e os personagens eram bem como você descreveu, perfeitos demais (pior que e uma série de sucesso). Depois dessa má experiência, evito ler outros livros dela, mesmo com tantas boas críticas. Posso vir a tentar um novo (que não seja seriado, pelamor) e ver se perco essa minha 'aversão'. Beijo!

    ResponderExcluir
  3. Olá, ainda não li nada da autora, mas estou fugindo de romances, acredito que se fosse pegar algo dela para ler nesse momento preferiria um suspense. Mas curti sua resenha e o enredo também parece ser bacana.

    Abraços

    ResponderExcluir

Oi! Muito obrigada pela visita!
Deixe aqui seu comentário, vou adorar receber!
B-jussss! ♥
;-p

Frase da Semana

"Ler é comer e beber. O espírito que não lê emagrece como um corpo que não come."

Victor Hugo

QUEM LÊ, SABE PORQUÊ - Copyright © 2013 - Todos os Direitos Reservados