Entre Irmãs - Frances de Pontes Peebles


PEEBLES, Frances de Pontes. Entre Irmãs. Tradução Maria Helena Rouanet. São Paulo: Editora Arqueiro, 2017. 576 p. Título original: The seamstress. Skoob. Comprar.


Sinopse
Nos anos 1920, as órfãs Emília e Luzia são as melhores costureiras de Taquaritinga do Norte, uma pequena cidade de Pernambuco. Fora isso, não podiam ser mais diferentes.
Morena e bonita, Emília é uma sonhadora que quer escapar da vida no interior e ter um casamento honrado. Já Luzia, depois de um acidente na infância que a deixou com o braço deformado, passou a ser tratada pelos vizinhos como uma mulher que não serve para se casar e, portanto, inútil.
Um dia, chega a Taquaritinga um bando de cangaceiros liderados por Carcará, um homem brutal que, como a ave da caatinga, arranca os olhos de suas presas. Impressionado com a franqueza e a inteligência de Luzia, ele a leva para ser a costureira de seu bando.
Após perder a irmã, a pessoa mais importante de sua vida, Emília se casa e vai para o Recife. Ali, em meio à revolução que leva Getúlio Vargas ao poder, ela descobre que Luzia ainda está viva e é agora uma das líderes do bando de Carcará.
Sem saber em que Luzia se transformou após tantos anos vagando por aquela terra escaldante e tão impiedosa quanto os cangaceiros, Emília precisa aprender algo que nunca lhe foi ensinado nas aulas de costura: como alinhavar o fio capaz de uni-las novamente.

No Nordeste do Brasil da década de 1920, Emília e Luzia são duas irmãs órfãs que foram criadas pela tia Sofia, uma costureira que ensina para as meninas a arte de costurar. As duas levam uma vida humilde e sem muitas perspectivas, mas tudo muda quando Luzia é levada por um grupo de cangaceiros. Sozinha e sem o apoio da irmã, Emília se casa com um herdeiro de uma importante família do Recife e vai viver entre a alta sociedade pernambucana. Com o passar dos anos, as irmãs se acompanham pelos jornais: Emilia aparece nas páginas sociais e Luzia nas manchetes policiais, ao lado do cangaceiro Carcará. Elas não podem ter contato direto porque Emilia deve proteger o segredo de que a fora da lei é sua irmã, mas o laço de amor entre as duas não se abala através dos anos, e elas fazem de tudo para proteger uma a outra.

A historiadora aqui só tem uma coisa a dizer sobre esse livro: simplesmente fantástico! É a história do Brasil recontada pelo olhar dos que sempre estiveram à margem da política e que clamam por dignidade nos sertões corroídos pela miséria, seca e fome. E para melhorar o que já está muito bom,  o livro traz como pano de fundo a verdadeira face da presidência de Getúlio Vargas, um governo paternalista que desejava, mais do que atender às necessidades de seu povo, impor suas vontades.

E em meio a esse confronto entre os interesses do governo e as necessidades do povo, surge a figura do cangaceiro, que divide opiniões como justiceiros ou simples bandidos. Carcará, o líder do bando, se encanta com a sagacidade de Luzia e ela acaba sendo “voluntariamente” sequestrada, já que vislumbra um futuro menos tenebroso ao lado do bando do que à mercê do bullying social em que vive. É impressionante acompanhar o dia a dia de Luzia entre eles, enfrentando as terras áridas e o machismo imperante.

Essa vida não é como as roupas. Não podemos vesti-la hoje e tirá-la amanhã. Mesmo que tivéssemos terras, ninguém nos chamaria de fazendeiros. Continuaríamos sendo cangaceiros. Pior: cangaceiros que desertaram. Vargas continuaria querendo a nossa cabeça (...) Não há escapatória para gente como nós.

Vivendo em Recife, era de se esperar que Emília tivesse um futuro melhor, mas a garota acaba cercada por uma sociedade hipócrita e  sem escrúpulos, que ameaça sufocá-la com seus segredos. O casamento não é o que ela esperava e Emília acaba mais sozinha do que nunca.

Com uma excelente narrativa e um enredo genuinamente brasileiro, Entre Irmãs me surpreendeu muito! O livro é ficção, mas todo o contexto histórico é verdadeiro e nos mostra a vida difícil no nordeste e as limitadas alternativas de sobrevivência, além de mostrar a verdadeira face do governo ditatorial e populista de Getúlio Vargas.

É um livro longo, mas o requinte dos detalhe é o que o torna tão excepcional. Descrições das pessoas, terra, roupas, comida, contos populares, superstições e tradições simplesmente me levaram a sentir como se estivesse vivendo no Brasil da década de 30. Fascinante, trágico, esperançoso e valioso em cada página, está muito mais que recomendado.

Todo mundo já deve saber mas não custa ressaltar: Entre Irmãs foi adaptado para os cinemas com Marjorie Estiano e Nanda Costa nos papéis das irmãs costureiras. Infelizmente o filme não teve tanto sucesso de bilheteria, mas vai virar minissérie da Globo agora em janeiro, então teremos uma excelente oportunidade de acompanhar a saga na telinha.



A Autora

Frances de Pontes Peebles nasceu no Recife e foi criada em Miami, Flórida. Formou-se em letras pela Universidade do Texas, em Austin, e em 2003 completou o famoso Iowa Writers’ Workshop. Em seguida recebeu bolsa do Programa Fulbright e do Instituto Sacatar. Seu livro Entre irmãs foi traduzido para nove idiomas e recebeu os prêmios Elle Grand Prix for Fiction, o Friends of American Writers Award e o Michener-Copernicus Fellowship. Além disso, foi adaptado para o cinema pela Conspiração Filmes e para a TV pela Rede Globo, em formato de minissérie.
Frances retornou ao Brasil em 2009, para cuidar da fazenda da família, e no fim de 2012 se mudou novamente para os Estados Unidos com o marido e a filha. Atualmente eles vivem em Chicago.

Avaliação (5/5)



B-jussss! ♥
;-p

10 comentários:

  1. Romance de época é um dos meus gêneros favoritos e fico mega feliz quando os vejo sendo ambientado no Brasil, isso nos enriquece historicamente.
    Gostei muito da apresentação do livros através da sua resenha, adoraria viver essa década por intermédio da leitura. Tinha visto o filme, mas não fazia ideia do que se tratava, vamos ver se agora consigo acompanhar a série, vou ficar atenta.

    Beijos.
    https://cabinedeleitura0.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Olá
    Nossa que bacana, adorei conhecer esse livro, ainda mais com esse cuidado histórico todo, amo quando autores fazem isso.
    Fiquei sabendo do filme, mas a verba para cinema na família de uma Costureira, eu, não é muito grande T.T

    ResponderExcluir
  3. Nossa me parece ser uma história muito triste, adoro romance de época e munca li um que se passa no Brasil, eu vou dar uma chance para essa obra. Adoro as atrizes que fizeram o filme!

    https://florescendolivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Nossa que maravilha saber que o filme será dividido em minissérie na globo agora em janeiro 2018, claro que vou ver. Quando vi o trailer fiquei louca para conferir, mas quase nunca viu ao cinema.
    Amei saber sua opinião sobre essa leitura que atraves de suas palavras valeu muito a pena.
    Beijos e dica anotada.

    ResponderExcluir
  5. Oiee Nina ^^
    Eu fiquei doidinha quando vi que esse livro seria lançado, mas ando com uma preguiça muito grande de ler livros digitais (meu exemplar é digital), então ainda não o li. Mas eu adoro ler sobre a história do Brasil, e a premissa de "Entre irmãs" me chama muito a atenção. Quero ver o filme também, mas só depois de ler o livro. Não sabia da minissérie *-*
    MilkMilks ♥

    ResponderExcluir
  6. Oie, tudo bem?!?! Nossa eu concluí a leitura desse livro há pouco tempo e fiquei completamente estarrecida em como a autora mesclou ficção e história do Brasil de forma maravilhosa.
    Eu não assisti ao filme ainda, mas tenho certeza que com esse elenco não deva ter ficado ruim. Mas adaptações sempre deixam a desejar quando precisam construir novas situações.
    Adorei sua resenha!!
    Bjs

    ResponderExcluir
  7. Oiii tudo bem??

    Acho importante sempre estar lendo resenhas de livros que desejamos ler, pois na hora que disse q o livro descreve bastante a terra, os personagens me bate aquela preguiça, por mais que a história seja boa. Acho que vou preferir o filme.
    Adorei a resenha,
    Bjus Rafa

    ResponderExcluir
  8. Oi Nina.

    Sua resenha me surpreendeu bastante e aumentou minha vontade de adquirir este livro para aenturar desta história.Ainda mais sabendo que a história mostra a vida difícil no nordeste na época do Getúlio Vargas. Estou aguardando a minisérie. Parabéns pela resenha.

    Bjos

    ResponderExcluir
  9. Vi o trailer do filme e fiquei super curiosa pela história... Amo saber que o cinema nacional está crescendo e produzindo tanta coisa maravilhosa... Esse infelizmente não consegui ir ver nas telonas, mas saber que passará na TV me animou!

    ResponderExcluir
  10. Olá Nina!
    Tinha visto o trailer do filme e fiquei bem curiosa com essa história, eu não sou de ler livros assim, mas sempre que leio resenhas fico empolgada para conferir, pois trás nossa história, a história do Brasil em outro estado. Gostei de conhecer um pouco mais e quero conferir esse livro, sem dúvida!

    beijos!

    ResponderExcluir

Oi! Muito obrigada pela visita!
Deixe aqui seu comentário, vou adorar receber!
B-jussss! ♥
;-p