Dezesseis Luas - Kami Garcia e Margaret Stohl


GARCIA, Kami; STOHL, Margaret. Dezesseis Luas. Rio de Janeiro: Galera Record, 2011. 409 páginas. (Beautiful Creatures, v.1). Título original: Beautiful Creatures.

Avaliação (1 a 5) ♥ ♥ ♥ ♥

Dezesseis luas, dezesseis anos
Dezesseis dos seus mais profundos medos
Dezesseis vezes você sonhou com minhas lágrimas
Caindo, caindo ao longo dos anos...

Dezesseis Luas está minha estante há meses, e mesmo com todas as resenhas favoráveis que li sobre o livro, eu acabava passando parcerias e lançamentos mais recentes na frente. Até que fui ao cinema ver Amanhecer 2 e vi o trailer da adaptação da história para o cinema. E surtei! Corri ler imediatamente, e agora compartilho com vocês minhas impressões do livro.

Gatlin, na Carolina do Sul, é uma daquelas pacatas cidadezinhas do interior onde todo mundo se conhece e se cuida. Todas as famílias se conhecem há séculos e seguem tradições, normas e costumes bem típicas dos sulistas. No passado, a cidade sofreu com a Guerra de Secessão (1861-1865) e hoje, anualmente, relembra os acontecimentos da guerra e homenageia seus heróis.

E é nessa pequena e pacata cidade que vive Ethan Wate, mas ele realmente odeia tudo isso. Ele odeia a população que se divide entre pessoas burras e empacadas, odeia seus vizinhos preconceituosos e a rotina da escola, e mais do que isso, ele odeia fazer parte disso tudo. Por isso ele não vê a hora de partir dali.

Mesmo porque, Ethan pertence aos círculos mais badalados do colégio. Alto, forte, bonito, jogador de basquete, popular e sempre rodeado por pessoas fúteis, ele não consegue romper esse círculo. E a cada dia parece que tudo piora, primeiro com a morte da mãe, depois a reclusão do pai e agora, sonhos estranhos o persegue a noite toda. Neles sempre aparece a mesma garota pálida, de longos cabelos negros, que lhe escapa enquanto ele tenta salvá-la.

Com a volta às aulas, Ethan se prepara para mais uma dose cavalar de tédio, mais achegada de uma aluna nova vai mudar a situação. Lena Duchannes é completamente diferente de todas as outras garotas, cheia de atitude e com roupas estranhas, ela linda e solitária. Mas também é sobrinha de Macon Ravenwood, o equisitão da cidade e morador da mansão que todos consideram mal assombrada. Mais do que isso, Lena é a garota que aparece em seus sonhos.

Ethan se sente perdidamente atraído pela garota e ela é imediatamente odiada por todos, virando alvo das líderes de torcida e do time de basquete. Todos querem que ele se afaste dela, mas ele continua sonhando com ela, ouvindo seus pensamentos e sentindo seus cheiro onde que que estivesse... limão e alecrim.

"Não importava como eu me sentia, se estava fervendo ou explodindo como lâmpadas ou sendo atingido por relâmpagos, eu tinha que estar perto dela. Era como comer ou respirar. Eu não tinha escolha. E isso era mais assustador do que um mês de Halloween e estava me matando." (p. 229)

Mas existem coisas sobre Lena que Ethan nem imagina. Coisas estranhas começam a acontecer e ele descobre que a garota é uma conjuradora (espécie de bruxa) e que uma terrível maldição pesa sobre ela. Que ao completar 16 anos Lena será invocada, para Luz ou para as Trevas, sem direito de escolha, e que sua família tem fortes razões para acreditar que ela seja das Trevas. Se tudo isso se confirmar, aos 16 anos ela mudará para sempre e não se lembrará de que foi ou quem amou - inclusive Ethan.

* * * * *
 Só essa sinopse já dá para pirar, não é? Dezesseis Luas é com certeza um livro bem diferente dos outros YAs que já li. Para começar, temos uma narrativa em primeira pessoa feita por um garoto, o que já é bem diferente. Depois, as autoras criaram um universo místico completamente diferente de tudo que já li ou ouvi sobre o assunto. As bruxas são chamadas de conjuradoras e cada uma tem um poder especial, uma habilidade que a destaca. Também tem toda essa coisa de Invocação para as Trevas ou para a Luz e o fato do adolescente simplesmente não ter escolha sobre seu destino.

O romance entre os dois é muito fofo! E como é narrado pelo Ethan não tem muita "melação", entendem? Eles se ligam logo de cara mas demoram um tempo até admitir ou falar sobre seus sentimentos. Eles primeiro se tornam amigos e depois é que as coisas vão se desenrolando.

Os demais personagens também são muito bons, especialmente Amma, que é uma espécie de babá de Ethan. Ela é vidente e muito engraçada e sempre rouba a cena quando aparece. O mesmo acontece com Macon Ravenwood, o tio misterioso de Lena. Eu só senti falta de saber um pouco mais sobre os demais personagens, tudo passou muito batido em relação a eles. Mas isso é comum em livros em que a narrativa é em primeira pessoa.

E como eu falei no início da resenha, Dezesseis Luas foi adaptado para o cinema, com Alden Ehrenreich e Alice Englert nos papéis principais. A estreia está prevista para fevereiro nos EUA e julho aqui, mas a net já está cheia de novidades e posters do filme. Juntei alguns para vocês ^-^.



E o trailer também é show, confiram:




Série Beautiful Creatures ou The Caster Chronicles

  1. Dezesseis Luas (Beautiful Creatures)
  2. Dezessete Luas (Beautiful Darkness)
  3. Dezoito Luas (Beautiful Chaos)
  4. Beautiful Redemption (ainda não lançado no Brasil)

  5. Dream Dark: a beautiful creatures story (ainda não lançado no Basil)

B-jussss! ♥
;-p


Comente com o Facebook:

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Oi! Muito obrigada pela visita!
Deixe aqui seu comentário, vou adorar receber!
B-jussss! ♥
;-p

Frase da Semana

"Ler é comer e beber. O espírito que não lê emagrece como um corpo que não come."

Victor Hugo

QUEM LÊ, SABE PORQUÊ - Copyright © 2013 - Todos os Direitos Reservados