Tudo Junto e Misturado - Ann Brashares


BRASHARES, Ann. Tudo junto e misturado. Tradução Cristian Clemente. São Paulo: Editora Seguinte, 2017. 336 p. Título original: The whole thing together. Skoob.
Sinopse
“Sasha e Ray sempre passam o verão na velha casa de férias da família. Desde pequenos, os dois dividiram muitas coisas — leram os mesmos livros, correram pela mesma praia, comeram pêssegos colhidos na mesma fazenda, tomaram café da manhã sentados à mesma mesa. Até dormiram na mesma cama, mas nunca ao mesmo tempo. Afinal, eles jamais se encontraram. O pai de Sasha um dia foi casado com a mãe de Ray, e juntos tiveram três filhas: Emma, Quinn e Mattie. Mas o casamento acabou, deixando para trás apenas rancor e ressentimentos. Os dois casaram de novo e formaram novas famílias, mas nenhuma delas pretende desistir da casa de praia, muito menos compartilhá-la. Até este verão. As vidas de Sasha e Ray estão prestes a se cruzar — e, com tudo junto e misturado, as famílias vão mudar para sempre.”

Ann Brashares é muito conhecida pelo sucesso de Quatro amigas e um jeans viajante, que vendeu milhões de cópias e chegou aos cinemas 2005 com Alexis Bledel e Blake Lively no elenco. Eu ainda não tive a oportunidade de ler os livros mas vi o filme e, curiosa como sou, queria muito conhecer a escrita da autora e assim, quando soube do lançamento de Tudo junto e misturado, vi que essa seria a minha chance! E agora trago minhas impressões para vocês.

O livro conta a história de uma família incomum e disfuncional, que começa com o casamento de Lila e Robert. Juntos eles têm três filhas, Emma, Quinn e Mattie, mas como são muito teimosos e egocêntricos, o casamento acaba em um difícil divórcio. Lila se casa novamente com Adam e tem um filho chamado Ray; Robert se casa com Evie e tem Sasha. O rancor e as mágoas do divórcio fazem com que Lila e Robert não se suportem, e por isso eles partilham a guarda das filhas mais velhas e a propriedade de uma casa de verão, mas nunca se encontrem. Assim, Ray e Sasha dividem as irmãs e passam os verões na mesma casa, mas nunca se viram.

Mesmo sem nunca terem se encontrado, Ray e Sasha se conhecem pelos vestígios que veem um do outro pela casa: hábitos, passatempos, livros. No entanto a situação está prestes a mudar, pois segredos familiares vão forçar um encontro e emoções que eles nunca imaginavam que teriam virão à tona. Haverá um romance estranho, confissões e tragédia, e a fissura entre as famílias pode romper de vez ou ser curada para sempre.

O enredo desse livro é mesmo uma fofura! Muito criativo e envolvente, ainda tem o bônus da narrativa de Ann Brashares que  realmente me encantou - é natural e descomplicada e faz com que o leitor esteja sempre repetindo o velho mantra: “só mais um capítulo”, sem conseguir largar o livro.

Quando peguei o livro para ler, imaginei que ele seria sobre um romance difícil entre dois adolescentes, mas é muito mais do isso, ele fala sobre família, convivência, perdão. Cada membro dessa enorme família tem seu drama que é desenvolvido no desenrolar da história, e como a narrativa é em terceira pessoa e são muitos personagens, o começo pode ser meio confuso, pelo menos até você entender quem é quem. A sensação que tive foi de estar caminhando pela casa e encontrando com pessoas que iam me contando sobre como estava sua vida, acompanhando cada um deles. A sorte é a árvore genealógica que aparece logo na primeira página, e até pegar o ritmo recorri muito a ela.

Foi muito bacana a maneira como Ann Brashares apresentou esse modelo de família maluca mas que está cada vez mais comum. É só olhar em volta que a gente vê a quantidade de famílias que se reorganizam de acordo novos casamentos, meio irmãos, irmão só por consideração, e por aí vai. 

Mas a grande lição que fica do enredo é a de não esperarmos momentos extremos para se reconciliar com alguém. Lila e Robert vivem em tensão constante, aliás tensão é uma palavra muito suave para a disputa que existe entre os dois pois, na verdade, o sentimento beira à repulsa. Robert tem muito orgulho, muito dinheiro e se recusa a aceitar qualquer tipo de indulgência. Lila também tem muito orgulho, não muito dinheiro, e abriga um grave segredo sobre uma de suas filhas. E é uma pena que os dois esperem até que a situação fique totalmente fora de controle para ao menos tentar conviver civilizadamente.

Enfim, eu amei! Sofri com os personagens, chorei, ri… a leitura trouxe um misto de emoções que mexeu muito comigo. Indico esse livro para os que gostam de um Jovem Adulto adorável e muito poético.

A Autora

A americana Ann Brashares é autora best-seller do The New York Times. Ela escreve romances do gênero jovem adulto, como a série Quatro amigas e um jeans viajante e o best-seller Nosso último verão.


Avaliação (4/5)


B-jusssss! ♥
;-p

11 comentários:

  1. Oi tudo bem?
    Acredita que eu não conhecia a autora? Mas adorei o enredo desse romance é bem diferente e parece ser bem diverto, anotei a dica!

    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Este livro me chamou atenção pelo título, mas ainda não tinha lido nenhuma resenha dele. Confesso que nem passei perto de imaginar do que se tratava, melhor assim, pois amei
    o enredo. Dicas super anotada.

    Beijos.
    https://cabinedeleitura0.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oi! Realmente o formato atual da família varia bastante, e a ideia de retratar isso através da literatura é bem criativa. A capa está uma fofura e com certeza vou querer ler. Você passou muita confiança em sua resenha e me cativou muito.
    Beijão!

    ResponderExcluir
  4. Olá
    Gostei do livro, achei a história bem interessante e achei bem diferente esses meio irmãos (ou seja lá o que eles forem) encontrando vestígios um do outro pela casa. Fiquei bem curiosa com essa família complicada

    ResponderExcluir
  5. Olá Nina, tudo bem?
    Ainda não li nada dessa autora, mas já li muitos elogios para suas obras e tenho vontade de ler. Fiquei contente por esse livro não ser o que você esperava, pois isso foi positivo pra mim, sabe? Essa questão de o relacionamento familiar ser trabalhado nesse livro me encantou, sabe?
    Vou super anotar a dica.
    Beijos,
    Um Oceano de Histórias

    ResponderExcluir
  6. Olá!
    Não conhecia a autora e suas obras, mas após ler sua resenha, já me encantei com esse livro. Gosto muito dessa pegada família e seus problemas internos. Também fiquei encantada com essa capa, muito única!
    Parabéns pela resenha
    Nizete
    Cia do Leitor

    ResponderExcluir
  7. OOOiiii, eu amei essa capa já de cara e quando comecei a leitura da resenha, vi que também vou curtir a história... Saber que ele traz lições e que mexe com as emoções do leitor já me fazem querer ter ele na estante!

    ResponderExcluir
  8. Oie, tudo bem?!? Essa é a primeira resenha que leio desse livro. Já tinha visto ele e me interessado mas fiquei na dúvida se valeria a pena!!
    Depois da sua empolgação, já coloquei na lista.
    Bjs

    ResponderExcluir
  9. Oi, parabéns pela dica, mesmo eu querendo desapegar dessa linha de livros que venho lendo vou anotar a sua dica, gostei bastante.

    Abraços, José Marcos.

    ResponderExcluir
  10. Oi Nina, que capa mais linda!! Amei! Sem falar que adoro esta expressão que virou o título do livro “tudo junto e misturado”. Eu fico muito ligada e aprendo demais com livros que me fazem refletir e lendo sua resenha parece que é o caso desse livro.
    Dica anotada. Meu Deus, minha lista de desejos está ficando enorrrme. Hahaha

    Bjo
    Tânia Bueno

    ResponderExcluir
  11. É a segunda resenha que vejo desse livro, pelo visto é muito bom mesmo, muito obrigada por sua recomendação!

    Beijos!!!

    ResponderExcluir

Oi! Muito obrigada pela visita!
Deixe aqui seu comentário, vou adorar receber!
B-jussss! ♥
;-p