A Jornada - Erin E. Moulton

MOULTON, Erin E. A Jornada: a história de quatro irmãs e uma viagem inacreditável. Ribeirão Preto, SP: Editora Novo Conceito, 2011. 200 páginas. Título orginal: Flutter: the story of fours sisters and a inacredible jouney.
Avaliação (1 a 5):♥ ♥ ♥ ♥ ♥

"- Era uma vez, há muito, muito tempo, quando o mundo abrigava tanto humanos quanto espíritos. Havia os espíritos da terra, os espíritos do ar, os espíritos da água e os espíritos do fogo. E acima de todos eles havia os espíritos de luz. Você ainda pode vê-los hoje em dia, meu amor. Algumas vezes, ao caminhas de manhã cedinho, você pode ver espíritos de luz no orvalho. Espíritos de luz são os que possuem o maior poder de cura." (p. 26)

A Jornada é com certeza uma das histórias mais comovente que li esse ano. Não sei se por se tratar de crianças, ou por ser uma história de amor fraterno... mas fiquei profundamente tocada por ele. É uma história delicada, cheia de pequenas lições e de momentos de muito ternura. Mas ao mesmo tempo, é uma grande aventura, uma jornada em busca de um milagre que vai salvar a pequena Lilly.

Maple Rittle só tem nove anos e já é muito esperta. Ela é a segunda de três irmãs e aguarda ansiosamente o nascimento da quarta irmã Rittle, Lilly. Dawn, a irmã mais velha, só tem onze anos, mas mesmo assim age com muita autoridade dentro de casa, e ela e Maple vivem se estapeando, como quaisquer irmãs que se amem. A caçula, Beetle, mal sabe falar, mas já demonstra possuir toda força de vontade e personalidade das Rittle.

Mas alguma coisa dá errado e Lilly nasce prematura, seu coraçãozinho mal consegue bater e somente um milagre pode salvar a vida do bebê. Maple se lembra então de uma canção que a mãe estava lhe ensinado, que contava a história da Mulher Sábia da Montanha, que vivia em uma fonte no alto da montanha. Diz a lenda que a água dessa fonte é milagrosa e pode curar as pessoas. Maple acredita que somente essa água poderá salvar a vida de sua irmãzinha, mesmo que tudo e todos lhe digam o contrário.


"Sei que a minha mãe é inteligente, mas acontece alguma coisa com o cérebro das pessoas quando elas ficam velhas. Alguma coisa interfere de um jeito que elas param de acreditar em fadas, fantasmas, e também em milagres, eu acho. Mas tenho certeza de uma coisa: a esperança não faz milagre, nem médicos, nem irmãs."


Acompanhada por Dawn, com a ajuda de um mapa, a bússola do pai, sobras do jantar e seus "chapéus para a cabeça funcionar", Maple decide que deve procurar o milagre que vai salvar sua irmã. As meninas descem o rio e sobem a montanha numa jornada que ensiná-las sobre o valor do amor fraterno e os milagres que ele é capaz. Porém, não é só com a saúde de Lilly que elas terão que se preocupar, mas também com própria sobrevivência.

Começa então a série de aventuras que as meninas vão viver enquanto sobem a montanha: tombos, sustos, encontros inesperados, tudo pode acontecer com duas crianças andando sozinhas pela mata. Eu me angustiava a cada nova página, preocupada com o que poderia acontecer com elas, mas ao mesmo tempo, ficava deslumbrada com a capacidade da Maple em acreditar, da força que ela tirava da sua fé em salvar a irmãzinha. É tocante. E a cada novo perigo que surgia no caminho das meninas, sempre aparecia uma misteriosa borboleta monarca, como se viesse lhes dizer o que fazer ou qual o melhor caminho a seguir. Como um anjo da guarda.

"- As monarcas são mais fortes do que parecem, querida - mamãe respondeu - e elas têm um poderoso instinto para saber como fazer para chegar aonde precisam, mesmo que nunca tenham estado lá antes. E também sabem como voltar para casa. Elas têm o instinto nas asas. Não são apenas bonitas. São resistentes, fortes e inteligentes, especialmente quando viajam em grupo."

Um dos pontos mais interessantes do livro é ele ser narrado pela Maple, que só tem nove anos. Isso nos faz entender o quanto ela realmente acredita no que está fazendo, que realmente vai salvar a irmã. Também dá para perceber sua relação conturbada com a Dawn, sempre mandona e autoritária por ser a mais velha, e como as duas irmãs vão se aproximando durante a jornada. No fim, elas mesmas são como as monarcas, fortes e unidas.

A capa é maravilhosa, muito bem pensada. E a diagramação interna é simplesmente um show! Tem borboletas desenhadas pelas páginas do livro e no início de cada capítulo. Ficou lindo e o pessoal da Novo Conceito está de parabéns pelo capricho.


Uma história de amor, superação e coragem. Uma leitura fácil e envolvente e uma narrativa muito bem escrita. Com certeza A Jornada está mais do que recomendado!!!

B-jusssss! ♥
;-p


Comente com o Facebook:

Um comentário :

  1. Já li e adorei.Sua resenha é ótima e muito fiel ao livro.Parabéns!

    ResponderExcluir

Oi! Muito obrigada pela visita!
Deixe aqui seu comentário, vou adorar receber!
B-jussss! ♥
;-p

Frase da Semana

"Ler é comer e beber. O espírito que não lê emagrece como um corpo que não come."

Victor Hugo

QUEM LÊ, SABE PORQUÊ - Copyright © 2013 - Todos os Direitos Reservados