Despertar, A Bandeja - Lycia Barros

BARROS, Lycia. Despertar, A Bandeja. São Paulo: Arqueiro, 2014. 240 páginas. (Despertar, v.01)

Sinopse:
“Aos 18 anos, Angelina está prestes a viver o maior desafio de sua vida: sair de Petrópolis para estudar no Rio de Janeiro, deixando para trás os cuidados e a proteção de seus pais.Assim que se instala na república de estudantes e começa a assistir às aulas, a jovem percebe que as dificuldades serão muitas. Ela divide um quarto com uma colega desorganizada, uma frequentadora assídua de festas e chopadas que vive cercada de más companhias. Além disso, as condições das instalações da faculdade são precárias e os professores não parecem comprometidos.
Angelina já está desanimando de sua nova vida quando esbarra no lindo Alderico – ou Rico –, um cara capaz de fazer qualquer garota perder o fôlego. O que ela não poderia imaginar era que Rico é seu professor de linguística e se interessaria por ela também.
Deslumbrada com a descoberta da paixão e certa de que Rico é seu grande amor, Angelina se joga de cabeça nessa relação, ignorando todos os conselhos que recebera dos pais a vida inteira.
Ao mesmo tempo ela começa a ter sonhos que não consegue entender: homens lhe oferecem objetos numa bandeja e, logo depois que Angelina aceita seus presentes, eles se transformam em feras e desaparecem numa floresta.
Primeiro volume da série “Despertar”, A bandeja é um romance arrebatador que retrata os dramas e as provações pelos quais qualquer jovem passa quando se afasta de sua essência e deve trilhar de novo o caminho do amor verdadeiro e de Deus.”
Desde que criei o blog (há longos e felizes 5 anos atrás, rsrs) eu ouço blogueiros literários falarem de Lycia Barros com muitos elogios, mas nunca tive oportunidade de ler um de seus livros. Então, quando a Arqueiro relançou A Bandeja, e vi que essa seria minha grande chance de conhecer o livro ganhador do Codex de Ouro. Mergulhei de cabeça na leitura e agora estou aqui, tentando achar o melhor jeito de dividir minhas opiniões com vocês.

Para começo de conversa, é preciso que vocês entendam que esse não é um romance comum, onde uma garota inocente vai para a faculdade na cidade grande e apaixona pela professor mau caráter. Ele é bem mais do que isso, principalmente porque Angelina é envagélica e segue à risca todos os ensinamentos de sua igreja, o que faz dela uma garota um pouco mais inocente e crédula do o normal.

Outro ponto importante que também precisa ser esclarecido é que esse não é um livro sobre religião. Angelina é sim evangélica mas o enredo não é doutrinário e em momento algum a história tenta de convencer a acreditar nisso ou seguir aquilo.

Esse é um livro que fala principalmente da busca por Deus e no nosso relacionamento com Ele, e que consegue falar no assunto sem impor falsos moralismos ou dizer o que é certo e errado. E esse fato foi o que mais me encantou na história: a capacidade de Lycia de falar de religião de maneira universal e sem extremismos e caretices.

Mas infelizmente ela errou a mão na hora de compor seus personagens. Eu senti uma antipatia quase automática por Angelina logo nos primeiros capítulos e foi difícil lidar com isso durante a leitura. A garota simplesmente não conhece meio termo, ou ela está explodindo de felicidade ou morrendo de depressão, ou amando loucamente ou mergulhada num poço sem fim de mágoas e lamúrias. Ela não pensa duas vezes em jogar para o alto tudo o que aprendeu durante toda sua vida e se entregar para um completo estranho, abandonando a faculdade e a família.

A partir da segunda metade do livro ela melhora bastante e a gente começa a companhar o amadurecimento da personagem. Ela se torna mais forte e menos extremista em suas ações e eu quase consegui gostar dela, rsrs.

No mais, eu só tenho elogios ao livro. A narrativa envolvente e juvenil de Lycia me ajudou a desfazer a má impressão que fiquei nos primeiros capítulos e o final fofo e inesperado contribuiu para que eu me tornasse fã da autora. Imagino que muitas meninas devem se decepcionar com as escolhas de Angelina, mas eu amei!

Indico esse livro para qualquer um goste de um romance, mas principalmente para aqueles que precisam se reconectar com sua espiritualidade. Mesmo sem ser doutrinário, tenho certeza que essa história vai fazer você se aproximarem um pouco mais de sua fé.

A Autora

Lycia Barros nasceu no Rio de Janeiro, em 1976. Chegou a cursar Letras na UFRJ e iniciou a carreira de escritora em 2010, com A bandeja, que está sendo relançado agora. Em 2013, o livro ganhou o prêmio Codex de Ouro na categoria Melhor Romance. Lycia já tem oito livros publicados. Ela dá palestras por todo o Brasil e ministra aulas sobre o mercado editorial. Mora em sua cidade natal com o marido e os dois filhos.

Avaliação (4/5)





B-jusssssssss! ♥
;-p

Comente com o Facebook:

Um comentário :

  1. Oi, tudo bem?

    É muito chato quando não gostamos da protagonista da história, isso já aconteceu comigo muitas vezes. Pelo menos Angelina melhorou um pouco depois da metade do livro!

    Adoro quando o final da história é fofo e inesperado!

    http://sopramenores.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Oi! Muito obrigada pela visita!
Deixe aqui seu comentário, vou adorar receber!
B-jussss! ♥
;-p

Frase da Semana

"Ler é comer e beber. O espírito que não lê emagrece como um corpo que não come."

Victor Hugo

QUEM LÊ, SABE PORQUÊ - Copyright © 2013 - Todos os Direitos Reservados