Dez Coisas Que Aprendi Sobre o Amor - Sarah Butler


BUTLER, Sarah. Dez Coisas que Aprendi sobre o Amor. Tradução Paulo Polzonoff Junior. Ribeirão Preto, SP: Editora Novo Conceito, 2015. 256 páginas. Título original: Ten things I’ve learnt about love. Skoob.

Sinopse
“Por quase 30 anos, quando a brisa de Londres torna-se mais quente, Daniel caminha pelas margens do Tâmisa e senta-se em um banco. Entre as mãos, tem uma folha de papel e um envelope em que escreve apenas um nome, sempre o mesmo. Ele lista também algumas coisas: os desejos e o que gostaria de falar para sua filha, que ele nunca conheceu. Alice tem 30 anos e sente-se mais feliz longe de casa, sob um céu estrelado, rodeada pela imensidão do horizonte, em vez de segura entre quatro paredes. Londres está cheia de memórias de sua mãe que se fora muito cedo, deixando-a com uma família que ela não parece fazer parte. Agora, Alice está de volta porque seu pai está morrendo. Ela só pode dar-lhe um último adeus. Alice e Daniel parecem não ter nada em comum, exceto o amor pelas estrelas, cores e mirtilos. Mas, acima de tudo, o hábito de fazer listas de dez coisas que os tornam tristes ou felizes. O amor está em todas as partes desta história. Suas consequências também. Sejam boas ou más. Até que ponto uma mentira pode ser melhor do que a verdade?”

Se tivesse que definir um tema para Dez Coisas que Aprendi Sobre o Amor diria que é um livro sobre perdas, mas é também sobre culpa, dor, tristeza, meias-verdades, conflitos internos… Com uma carga dramática muito pesada, confesso que tive uma certa dificuldade para me conectar com essa história, mas que, no fim das contas, se revelou muito linda!

Daniel é morador de rua há mais de trinta anos. Ele perdeu tudo o que amava: sua mãe, seu pai, com quem ele tinha uma relação de amor e ódio, a mulher que ele amava, mas que não pertencia a ele, e uma filha que nem sabe quem ele é e a quem ele nunca conheceu. Há 30 anos sua vida só tem sentido pela esperança de encontrar sua filha, porém isso ainda não aconteceu.

Alice tem 30 anos e se sente rejeitada em sua família. Ela perdeu a mãe muito cedo, e a maior parte de seu tempo passa viajando para não ter que encarar seus problemas familiares. Mas quando descobre que seu pai está morrendo, ela volta para casa para dar um último adeus.

Essa é uma história que tem tudo para ser um drama daqueles, mas que, infelizmente, não conseguiu me conquistar. A narrativa é em primeira pessoa, um capítulo para cada um dos protagonistas e talvez por isso, não consegui me conectar com nenhum dos dois. Com Daniel até rolou uma empatia, me solidarizei muito com a situação dele, mas com Alice não teve como. Ela está sempre reclamando sobre sua relação com a família, mas nunca faz nada para mudar a situação, muito pelo contrário, ela sempre foge.

Outro ponto que me incomodou foi a autora tentar fazer mistério de algo que já está na cara do leitor desde a primeira página, isso fez o livro perder um pouco de sentido para mim porque eu tentava encontrar outra explicação enquanto ela não admitia o óbvio, e quando enfim aconteceu eu não senti o impacto que deveria. A narrativa também não fluiu muito bem, achei arrastada e entrecortada, principalmente nas passagens que retratam os pensamentos dos personagens. Eu até entendi que era uma maneira de representar a confusão dos sentimentos deles, mas acabou atrapalhando minha conexão com a leitura.

Um ponto positivo que encontrei foi a construção dos personagens, eles são reais e críveis. Não tem ninguém 100% bom ou 100% mau ou que tenha sua personalidade definida por uma única característica, todos eles tem suas peculiaridades e sua bagagem de vida. Provavelmente, se a narrativa tivesse se desenvolvido melhor, eu teria amado o livro.

Enfim, o livro é um drama muito interessante e que pode conquistar muita gente, é reflexivo e cheio de ensinamentos mas que, infelizmente, não funcionou para mim. Imagino que muitos leitores vão amar a experiência e por isso não deixo de recomendar, afinal gosto é algo muito pessoal, portanto leiam e tirem suas próprias conclusões.

A Autora


Sarah Butler vive em Manchester e dirige uma consultoria que desenvolve projetos de literatura e arte. Ensinou escrita criativa na British Council em Kuala Lampur. Dez Coisas que Aprendi Sobre o Amor é seu primeiro romance.



Avaliação (3/5)






B-jussssssss! ♥
;-p

22 comentários:

  1. Oi Nina!
    Não achei muito interessante a sinopse. E pela sua resenha também acho que não em prenderia.
    Sou mais da ação e aventura, esse eu passo. KKK.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  2. Pausa Para Pitacos21 de outubro de 2015 10:53

    Nina, também tenho dificuldade de me conectar com os personagens quando a narrativa é compartilhada. Fico confusa, não sei bem como explicar.

    Adorei a sua resenha! Acho que esse deve ser um drama daqueles! Não estou num bom momento para ler dramas assim... Rs!

    Pra ler sobre perdas e tristezas precisamos estar com o humor muito muito bacana! Rs..

    Beijos!

    Fabi Carvalhais

    pausaparapitacos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Olá, puxa vida a editora fez um mega trabalho de divulgação com esse livro e eu estava super curiosa para ler uma resenha sobre ele, mas agora que li a sua eu fiquei um pouco desanimada com a leitura, sua resenha está ótima e me fez ver outros pontos do livro que eu ainda não conhecia

    ResponderExcluir
  4. Ola. Ja li várias resenhas desse livro todas são ótimas mas não consigo gostar da premissa ela nao agrada em nenhum.ponto. Acho que não estou acostumada a ler esse gênero de.livro. Uma pena pra mim klkkk

    Beijão da Lari
    briliiantdiamond-bg.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Você fez uma ótima resenha. O título do livro já não havia me agradado, quando li sua resenha e os pontos que você citou, sobre narrativa, uma mulher de trinta anos que só reclama, etc. Outra coisa que sempre me incomoda um pouco nos livros é a sobre a culpa, pois geralmente trazem num conceito cristão, que é soa doentio, então, quando você citou: culpa, já fiquei receosa.

    ResponderExcluir
  6. Olá; eu já li o início do livro e estava achando a história bastante interessante; espero sinceramente continuar gostando quando puder terminar a leitura.

    ResponderExcluir
  7. Nina, eu ainda não li o livro, mas já vi tanta resenha sobre que espero um bocado da história e se ela realmente for assim como você escreveu sinto que ficarei bem decepcionada.
    Talvez eu deva diminuir minhas expectativas antes de comprar o livro para ler.

    Lisossomos

    ResponderExcluir
  8. Oi Nina, que pena que o livro não te conquistou, eu estou com ele para ler aqui e desde que chegou eu estou com vontade de ler mas estou sem tempo. Apesar de tudo ainda quero pegar para ver o que eu acho, normalmente eu gosto desses dramas.

    Beijos

    http://www.oteoremadaleitura.com/

    ResponderExcluir
  9. Oi!!
    Eu fiquei bastante dividida com relação a esse livro. Não foi um daqueles que eu fico sabendo sobre o que se trata e já quero ler, sabe? Foi bem controverso porque eu quis ler, mas fiquei com medo e as resenhas que tenho lido estão se mostrando da mesma maneira: leio tanto opiniões de pessoas que amaram, quando de pessoas que não gostaram. Acho que o jeito vai ser eu ler pra saber o que acho. hahaha


    Beijos!

    ResponderExcluir
  10. Amanda Larissa Vieira23 de outubro de 2015 11:33

    Nossa Nina, que pena que você não se conectou. Eu achei a história linda e envolvente e o tema interessante e novo, e o final maravilhoso e diferente, enfim... me apaixonei total pelo livro.

    ResponderExcluir
  11. Olá!
    Esse parece ser um livro lindo e sensível, mas não sei se tô pronta para mais uma leitura desse tipo. Provavelmente vou achar (como você) que possui uma narrativa arrastada, e é provável que eu abandone a leitura. Então vou deixar para lê-lo futuramente, em um outro momento.
    Sua resenha ficou muito boa!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  12. Oi, tudo bem?
    Uma pena que o livro não tenha funcionado para você!
    Eu estou bem curiosa com ele mesmo assim, porque achei a premissa bem interessante, então espero não me decepcionar.

    Beijos :*
    http://www.livrosesonhos.com/

    ResponderExcluir
  13. Oii, eu que a NC tinha mandado um email oferecendo o livro e talz, só que eu não consegui me interessar por ele.

    Abraços!

    http://lendocomobiel.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  14. Oi, tudo bem?
    Eu gosto muito de livros desse tipo, por isso tenho muita vontade de ler "Dez coisas que aprendi sobre o amor" e confesso que me arrependi por não ter lido os primeiros capítulos que a editora mandou, porque acabei perdendo a chance de receber o livro :/ A premissa da história é ótima e só li comentários bem positivos até agora, mas lendo sua resenha fiquei um pouco menos empolgada e se for ler irei com poucas expectativas pois o livro parece ter vários pontinhos negativos.

    Beijos :*
    Larissa - srtabookaholic.blogspot.com

    ResponderExcluir
  15. oi.
    eu tenho o exemplar aqui em casa, mas ainda não tive a oportunidade de ler.
    pow sei como é isso, apesar de gostar de capítulos do ponto de vista de cada um as vezes isso me incomoda um pouco e eu acabo não me apegando aos personagens.

    ResponderExcluir
  16. Ola, tudo bem?? Adorei a sua resenha, super sincera. Só tenho visto resenhas positivas sobre este livro, mas ele não me conquistou nem um pouco. Sei lá, adoro livros neste estilo mas ele não me atraiu nem pela sinopse.
    Gostei muito da sua resenha!
    Beijos, Larissa (laoliphant.com.br)

    ResponderExcluir
  17. eu queria tanto ter lido esse livro, li a prova da editora mas o meu nunca chegou...

    ResponderExcluir
  18. Hey,
    Odeio quando o grande "mistério" da narrativa está tão explicitamente na cara e os autores insistem em tratar o leitor como se ele simplesmente fosse burro. Não funciona para nenhum dos lados, além de tornar a leitura maçante e irritante. Acho que principalmente por causa disso esse não seria um livro que eu leria.
    Beijos,
    Dois Dedos de Prosa

    ResponderExcluir
  19. Olá!

    Esse livro me parece ser bem romântico e eu estou fugindo desse tipo. Minha vibe literária está mais para fantasia, policial, histórias mais agitadas e que me prenderiam mais à leitura.

    Beijos
    http://www.breakingfree.blog.br/

    ResponderExcluir
  20. Oi Nina.
    Fiquei com duvidas se o livro é para mim. Eu achei a proposta um pouco interessante, mas os pontos que voc citou também me desagrada.
    Não é o livro que eu necessito no momento.

    ResponderExcluir
  21. Oie, tudo bom?

    Esse livro parece ter uma carga dramática grande e já imagino o mistério da narrativa, mas para mim isso não tira seu brilho. Minha amiga vai resenhá-lo lá no blog, mas ainda tenho curiosidade com essa história.

    Beijos,

    http://livrosyviagens.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  22. OI Nina!
    Eu estou doida para ler esse livro, mas acho que agora vou com mais calma no pote. Eu gostei das primeiras 50 páginas que a editora enviou e achei que gostaria de tudo... Tomara que eu goste, mas vamos ver, neh!?

    Beijos

    LuMartinho | Face

    ResponderExcluir

Oi! Muito obrigada pela visita!
Deixe aqui seu comentário, vou adorar receber!
B-jussss! ♥
;-p