A Casa Assombrada - John Boyne



BOYNE, John. A Casa Assombrada. Tradução Henrique de Breia e Szolnoky. São Paulo: Companhia das Letras, 2016. 296 páginas. Título original: This house is haunted. Skoob.

Sinopse
Eliza Caine tem 21 anos e acaba de perder o pai. Totalmente sozinha e sem dinheiro suficiente para pagar o aluguel na cidade, ela se depara com o anúncio de um tal H. Bennet. Ele busca uma governanta para se dedicar aos cuidados e à educação das crianças de Gaudlin Hall, uma propriedade no condado de Norfolk – sem, no entanto, mencionar quantas são, quantos anos têm ou dar quaisquer outras explicações. Assim, ela larga o emprego de professora numa escola para meninas e ruma para o interior.
Chegando a Gaudlin Hall, Eliza se surpreende ao encontrar apenas Isabella, uma menina que parece inteligente demais para sua idade, e Eustace, seu adorável irmão de oito anos. Os pais das crianças não estão lá. Não se veem criados. Ela logo constata que não há nenhum outro adulto na propriedade, e a identidade de H. Bennet permanece um mistério.A governanta recém-contratada busca informações com as pessoas do vilarejo, mastodos a evitam. Nesse meio tempo, fica intrigada com janelas que se fecham semexplicação, cortinas que se movem sozinhas e ventos desproporcionais soprando pelapropriedade. E então coisas realmente assustadoras começam a acontecer…

Olá Pessoal!

Olha eu aqui com mais uma resenha de terror, acho que Anna Vestida de Sangue me despertou para um novo mundo da literatura, e isso associado ao fato de que desde que li O menino do Pijama listrado estou louca para experimentar outras obras de John Boyne, temos a soma perfeita para essa leitura eletrizante.

"Qualquer história que se dedique ao além-túmulo e às forças que a mente humana não pode compreender arrisca inquietar o leitor"

Como citado na sinopse, Eliza possui apenas 21 anos, orfã de mãe muito cedo, ela foi criada pelo pai, até que um forte resfriado o acomete e ela se vê sozinha no mundo, a história se passa em 1867, naquela época os costumes eram totalmente contraditórios com que o que estamos acostumados hoje, sendo assim, só quando seu pai falece é que Eliza vem ter conhecimento de que a casa onde cresceu não pertence a sua família. Sozinha no mundo, mulher e apenas com um salário humilde de professora, ela se vê perdida e sem saber como prosseguir, e é nessa hora que ela encontra o anuncio no jornal.

O anuncio apenas solicita uma governanta, sem muitos esclarecimentos além do valor do salário, ela resolve se candidatar a essa vaga, e quem sabe, ter a oportunidade de se mudar, se afastar de tudo aquilo que lembra seu pai e ainda sim se manter na área de que tanto gosta tendo contato com crianças, mas o que realmente aguardava nossa jovem protagonista era sem dúvida inesperado.

Eliza deixa tudo para trás e parte em direção ao interior para exercer seu cargo de governanta na mansão Gaudlin Hall, em sua imaginação de leitora avida, existe uma mansão belíssima com crianças doces e ar puro, mas o que espera por Eliza não passa de uma mansão abandonada quase caindo aos pedaços com apenas duas crianças, e apesar de Eustace ser sim, um doce de menino, não posso dizer o mesmo de sua irmã.

Tudo começa a ficar muito estranho desde sua chegada à estação, quando Eliza é quase atropelada pelo trem, quando ela finalmente chega a mansão é recepcionada apenas por Isabella de 12 anos e Eustace, seu irmão mais novo, essas são as crianças as quais ela ficará responsável, mas surpreendentemente, não existe adultos na casa, apenas ela e as crianças, e quando coisas estranhas e assustadoras começam a acontecer Eliza se vê obrigada a investigar e tentar entender o que assola aquela mansão, e acima de tudo porque apenas as crianças estão protegidas.

"Havia uma presença naquela casa, alguma coisa profana; uma noção que eu antes desprezara como fantasia tomou conta de mim e me disse que aquela era a verdade."

O livro funciona como se fosse um diário, logo no primeiro capitulo já é possível notar que Eliza esta contando sua história para quem queira ouvir, acompanharemos toda sua trajetória desde a falência do pai até o inesperado fim de sua jornada.John Boyne nos leva por essa emocionante viagem com a mesma maestria que me tirou lágrimas em O menino do Pijama Listrado.

O livro acontece em uma época em que as mulheres não possuíam muitos direitos, onde tudo era ditado pelos homens, sendo assim, consigo imaginar minha doce protagonista com aqueles vestidos rodados e gigantescos se encaminhando para a estação de trem, rumo a sua aventura. O livro é cheio de mistério, e conforme as coisas vão acontecendo é possível ir juntando as peças do quebra cabeça, como minha mente anda muito treinada no seriado policial, desvendei o caso antes do livro chegar ao meio, mas isso não impediu que a leitura fosse incrível e me prendesse do começo ao fim.

"(...)antes de aprendermos a ter medo das coisas, nossos corpos sabem naturalmente como fazê-las. É um dos aspectos decepcionantes de ficar mais velho. Temos mais medo e, por isso, fazemos menos coisas."

Eliza não é uma jovem de beleza estupenda, mas seu coração possui uma doçura e bondade inenarrável, e é isso que a faz permanecer na casa mesmo depois de se dar conta de que sua vida corre perigo, para ela se torna impossível abandonar as crianças mesmo sabendo que elas não correm perigo. John Boyne criou personagens incríveis, cada um possui sua personalidade marcante e sua importância no decorrer da história, desde Eliza até o caseiro mau humorado.

Se utilizando de contextos, termos e folclores da época descrita, John consegue criar um terror leve e viciante, cheio de mistérios e fantasias, daquele que você só larga depois que dá o último suspiro. A leitura flui com uma velocidade incrível, e mesmo sendo um terror e tendo seus momentos assustadores, me arrisco a dizer que tudo flui perfeitamente.

A edição esta muito bem trabalhada, a capa vem com cores sombrias, e de um material quase aveludado, muito gostoso ao toque, a edição vem em um formato um pouco menor que a comum possibilitando ser levada até mesmo no bolso do moletom ( Acreditem, eu fiz isso kkkkkk), com as páginas amareladas e a fonte em tamanho padrão, a leitura é mais do que agradável.

Enfim posso dizer que John me deixou com gostinho de quero mais, a forma como ele termina a leitura me deixou sem chão e cheia de especulações, como se a história já não tivesse sido boa o suficiente para me viciar. Sendo assim, me arrisco a dizer que vou sim ler seus outros volumes e que esse aqui já foi para a lista dos favoritos!!!

Espero que tenham gostado da resenha, e se leram me conte o que acharam, e se não, aqui vai uma boa pedida para quem curte terror e também para quem quer conhecer uma categoria nova de leitura.




O Autor

John Boyne nasceu na Irlanda em 1971, e mora em Dublin. Escreveu diversos romances que já foram traduzidos para mais de quarenta idiomas. Seu livro mais célebre, O menino do pijama listrado (2007), lhe rendeu dois Irish Book Awards, vendeu mais de 5 milhões de exemplares pelo mundo e foi adaptado para o cinema em 2008.


Avaliação (5/5)



B-jussssss! ♥
;-p

Comente com o Facebook:

5 comentários :

  1. Oi, eu particularmente não curto livros de terror, pois sou bem medrosa e só pela premissa já estaria tremendo de medo e não conseguiria ler o livro, mas confesso que a escrita do autor é primorosa e bem feita e adorei ler O Menino do Pijama Listrado, mas esse em particular, não leria, por ser de terror. Amei sua resenha.
    bjus

    ResponderExcluir
  2. Oi Kelly, sau linda, tudo bem?
    Eu li menino do pijama listrado e desde então, estou louca para ler os outros livros do autor. Nossa, amei essa história. Eu sou muito curiosa, então, já quero saber porque não tinha adultos ali, como as crianças sobrevivem sem adultos? E o dinheiro? E como assim nada acontece com elas? Que mistério todo é esse? Nunca vi nada parecido, estou louca para ler esse livro. Sua resenha ficou ótima!!!
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Olá, nunca li nada do autor (que vergonha!), mas vou mudar isso em breve pois esse foi um dos últimos títulos que adquiri na minha última compra <3

    Adorei sua resenha.

    Abraços

    ResponderExcluir
  4. Oi, Nina!
    Estou sendo apresentada a autores irlandeses fantásticos um depois do outro! Adorei sua resenha, ainda mais por ser um livro de terror (amo de paixão doidinha!). Achei bem intrigante ter apenas crianças no local, me senti em uma variação de "As crianças do milharal", um conto de Stephen King (adaptado ao cinema como Colheita Maldita). Definitivamente, foi pra lista! ;)

    ResponderExcluir
  5. Oi!
    Não conhecia a premissa desse livro apesar de já ter visto a capa antes, fiquei curiosa e por se tratar de uma obra escrito por um autor muito bem comentado, e o qual ainda não li nenhuma obra. Quero saber o que a acontecerá na casa com a protagonista e essas duas crianças.
    Abraços,
    Andy - StarBooks

    ResponderExcluir

Oi! Muito obrigada pela visita!
Deixe aqui seu comentário, vou adorar receber!
B-jussss! ♥
;-p

Frase da Semana

"Ler é comer e beber. O espírito que não lê emagrece como um corpo que não come."

Victor Hugo

QUEM LÊ, SABE PORQUÊ - Copyright © 2013 - Todos os Direitos Reservados