Uma Canção de Ninar - Sarah Dessen


DESSEN, Sarah. Uma canção de ninar. Tradução Flávia Souto Maior. São Paulo: Editora Seguinte, 2016. 320 p. Título original: This lullaby. Skoob.

Sinopse
“Remy não acredita no amor. Sempre que um cara com quem está saindo se aproxima demais, ela se afasta, antes que fique sério ou ela se machuque. Tanta desilusão não é para menos: ela cresceu assistindo os fracassos dos relacionamentos de sua mãe, que já vai para o quinto casamento. 
Então como Dexter consegue fazer a garota quebrar esse padrão, se envolvendo pra valer? Ele é tudo que ela odeia: impulsivo, desajeitado e, o pior de tudo, membro de uma banda, como o pai de Remy — que abandonou a família antes do nascimento da filha, deixando para trás apenas uma música de sucesso sobre ela. 
Remy queria apenas viver um último namoro de verão antes de partir para a faculdade, mas parece estar começando a entender aquele sentimento irracional de que falam as canções de amor…”

Quando se fala de Literatura Jovem Adulta, Sarah Dessen é um nome de peso. Ela é dona de uma narrativa simples e fluída, muito envolvente e que sempre aborda temas fortes e verossímeis, o que aproxima muito seus livros da nossa realidade. Suas histórias são do tipo que podem acontecer com qualquer um, e por isso é fácil se render a elas. E foi com essa expectativa que comecei a leitura de Uma Canção de Ninar, e agora venho dividir minhas impressões com vocês.

Remy tem 18 e o cinismo de quem já viveu 80 anos muito amargos. Seu pai foi um músico que abandonou a família antes dela nascer, ele morreu muito jovem e seu único sucesso é uma canção de ninar para a filha que não chegou a conhecer. Anos depois, a música ainda é muito tocada, lembrando Remy de tudo o que ela não teve. Sua mãe é uma escritora de sucesso, mas muito imatura para lidar com seus sentimentos, por isso ela está na iminência de seu quinto casamento e ainda depende emocionalmente da filha.

Por essas razões, Remy tem como regra não se apaixonar nunca, especialmente por músicos, até conhecer Dexter. Ele é o total oposto dela, é engraçado, descontraído, desorganizado e… músico. E por mais que ela fuja dele, ele insiste e vai acabar fazendo a garota quebrar suas próprias regras.

Confesso que tive uma dificuldade enorme para ler Uma Canção de Ninar. Apesar do enredo ter elementos que geralmente me atraem em um livro, esse não conseguiu me prender, e acredito que isso tenha acontecido porque não consegui gostar de Remy. Ela é cínica e sarcástica demais, e por mais que tenha seus motivos, eles não me convenceram, e como a narrativa é em primeira pessoa feita por ela, a coisa só piorou. Com o desenrolar da história, ela até melhorou um pouquinho, mas não o suficiente para me conquistar.

Por outro lado, Dexter foi o dono do meu coração. Ele é engraçado e espirituoso e eu não conseguia entender porquê a Remy simplesmente não deixava de besteira e ficava com o garoto, porque resistir tanto? Mas ele é bem persistente e não desiste fácil e só por ele consegui ler até o fim.

Também senti falta dos temas polêmicos que Sarah Dessen sempre traz em seus romances. Não que neste eles não existem, só senti que não foram tratados com a mesmo profundidade que em livros anteriores.

Enfim, não é um livro ruim e não deixo de recomendar, só não me marcou como as obras anteriores de Dessen. Como entretenimento cumpriu seu papel e imagino que se eu tivesse alguns anos a menos poderia ter me identificado mais com a história. Acho que a grande questão talvez seja essa: estou ficando velha para ler YAs, mas fazer o quê se o estilo ainda me agrada? rsrs

A Autora

Sarah Dessen é um dos maiores destaques da literatura jovem adulta contemporânea. Autora de doze livros que juntos somam mais de 7 milhões de exemplares no mundo, já recebeu diversos prêmios e seu nome é presença constante na lista de best-sellers do New York Times. Mora em Chapel Hill, Carolina do Norte, com o marido e a filha.

Avaliação (3/5)






B-jussssss! ♥
;-p

Comente com o Facebook:

5 comentários :

  1. Confesso que não sou muito fã de YA's, mas me interessei em ler o livro por motivos de: na maioria das histórias (de filmes, por exemplo) é sempre a garota que é engraçada e romântica e o cara que é o que tem medo do amor, já nessa parece ser o contrário, né?! Fiquei curiosa pra ler..

    ResponderExcluir
  2. Pôxa, mas eu acho o fato da Remy não ser certinha demais um dos pontos fortes do livro. Mulher nenhuma tem que ser comportada o tempo inteiro, como qualquer pessoa elas tem defeitos e manias estranhas e é bom que sejam retratadas assim na Literatura, para as pessoas pararem de imaginar e cobrar isso nas meninas.

    ResponderExcluir
  3. Oiee ^^
    Você não é a primeira pessoa a dizer que esse livro não marcou tanto *-* eu adoro as histórias da Sarah, mas o ruim é que algumas encantam e outras não, né? Eu ainda não li "Uma canção de ninar", mas estou curiosa para conhecer, mesmo tendo em vista que muitos leitores não curtiram 100%.
    MilkMilks ♥

    ResponderExcluir
  4. Oii,

    Estava bem interessada nesse livro só pela capa, mas agora já quero esse livro para ontem..hahahaha. Ainda não li nada da autora, mas quero muito começar por esse livro. Parabéns pela resenha.

    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Olá =)
    Eu já tinha visto esse livro circulando pela internet. Eu ainda não cheguei a ler nenhum livro da autora, apesar de vontade não faltar. Mas esse livro não me despertou interesse, pela sua resenha pode conhece um pouco melhor o livro , talvez eu lendo mude de ideia e acabo gostando do livro. Sua resenha foi muito bem feita, o blog está de parabéns.

    ResponderExcluir

Oi! Muito obrigada pela visita!
Deixe aqui seu comentário, vou adorar receber!
B-jussss! ♥
;-p

Frase da Semana

"Ler é comer e beber. O espírito que não lê emagrece como um corpo que não come."

Victor Hugo

QUEM LÊ, SABE PORQUÊ - Copyright © 2013 - Todos os Direitos Reservados