Quando o amor bater à sua porta - Samanta Holtz


HOLTZ, Samanta.Quando o amor bater à sua porta. São Paulo: Editora Arqueiro, 2016.304 p. Skoob.

Sinopse
Ele tem um passado do qual não se lembra. Ela precisa esquecer o seu.
Malu Rocha é uma escritora de 29 anos independente, confiante e bem-sucedida. Mora sozinha em São José dos Pinhais, perto de Curitiba, onde mantém uma rotina regrada de pedalar todas as manhãs, escrever e, semanalmente, visitar o avô de 98 anos em uma casa de repouso.
Porém sua vida toda controlada sai do eixo quando um homem bate à sua porta e se apresenta como Luiz Otávio Veronezzi, dizendo ter perdido uma reunião marcada com ela. Malu não se lembra do compromisso e sua primeira reação é dispensá-lo. Mas o belo desconhecido insiste, explicando que sofreu um acidente de carro, ficou em coma e perdeu a memória, assim como seus documentos. As únicas coisas que restaram foram um pouco de dinheiro e um papel com o nome e o endereço de Malu, o nome dele e a data da reunião. Luiz confessa que a escritora era sua última esperança para descobrir a própria identidade.
O problema é que ela não tem a menor ideia de quem ele seja.
Desconfiada, mas sentindo-se responsável pelo acontecido, Malu decide ajudá-lo e embarca em uma jornada para descobrir quem ele é – o que acaba trazendo à tona muitos fatos sobre si mesma, seus medos e segredos mais bem guardados, além de um passado que preferia esquecer.
A bela narrativa e a trama que prende do começo ao fim nos convidam a acompanhar Malu e Luiz nessa busca que se transforma em uma história de amor de tirar o fôlego.”

Tive a oportunidade de conhecer Samanta Holtz na Bienal de São Paulo e posso dizer que ela é um doce de pessoa. Eu já tinha ouvido elogios aos livros dela, mas depois de conhecer uma pessoa tão fofa, não pude resistir e corri ler Quando o amor bater à sua porta.

A personagem principal é Malu Rocha, uma jovem escritora de muito sucesso, mas que está com problemas para finalizar seu último livro. Ela ficou conhecida por seus romances com finais felizes e mocinhos apaixonantes, mas desta vez, ela quer entregar uma história mais real, algo que não iluda suas leitoras com uma idealização do amor que está muito distante da realidade. E era isso o que ela estava fazendo quando um estranho bate em sua porta alegando ter um encontro com ela, e o surpreendente é que ele tem o mesmo nome do mocinho do seu novo livro.

Luíz Otávio sofreu um grave acidente de carro e perdeu a memória. A única coisa que sobrou foi um papel com seu nome e o de Malu, marcando uma reunião, mais nada, nem mesmo o assunto a ser tratado. Mas Rebeca, a jovem e atrapalhada assistente da escritora, precisou formatar o computador e não fez nenhum backup, portanto ela não tem como ajudar Luiz. Assim, a história dos dois se cruza, e, enquanto Luiz tenta se lembrar quem é, Malu só quer esquecer.

Quando a gente lê uma sinopse dessas a primeira coisa que nos vem à mente é clichê. Nada contra, sou super fã de clichês e, sinceramente, se esse livro fosse um eu já o teria amado! Mas não é esse o caso e já explico porque.

Quando que soube que Malu seria uma escritora, na hora eu associei a personalidade dela à de Samanta, que eu já falei que um doce. Mas não é nada disso, Malu é amarga, mal humorada e muito grosseira, fala tantas coisas horríveis para Rebeca que nem sei como a garota ainda a admira tanto, tudo bem que a menina é meio atrapalhada, mas também não era para tanto. Ela reluta muito em ajudar Luiz, e por isso o rapaz passa por situações terríveis. Eu não esperava que ela bancasse a louca e o colocasse dentro de casa logo de cara, mas ela poderia bancar um hotel ou coisa assim. Mas muito coisa tem que acontecer até que ela perceba o tamanho da vulnerabilidade dele.

De início eu a odiei, sério mesmo! Mas aos poucos deu para perceber que haviam dores e mágoas muito profundas que ela escondia e que isto era a razão de tanta amargura. Mesmo porque, uma pessoa má não trata um idoso com tanto carinho como Malu faz com seu avô. Mas aos poucos as coisas vão mudando, e toda a doçura e positividade de Luiz são decisivas para isso. Ele consegue ver por baixo da casca de aspereza dela e sabe que a rocha pode se transformar em uma rosa.

Então, muito mais do que uma simples história de amor, do romance de duas pessoas, essa é uma história de autodescoberta, de superação e de crescimento, e isso não tem nada de clichê. Fiquei muito envolvida com a história e quando entendi a Malu, fiquei até com remorso das objeções que fiz a ela no início. Samanta escreve muito bem, e seu texto tem um cadência deliciosa, eu simplesmente não conseguia parar de ler. E as citações foram as melhores! Tem coisas lindas assim:

"- Malu... As pessoas lutam, erram, se decepcionam. Perdem a memória" - Apontou para o próprio peito. - Mas, quando se sentam para ver um filme ou abrem um livro para ler, não querem mais daquele sentimento negativo. Querem sonhar, acreditar que a felicidade é possível, mesmo que através de uma história inventada por outra pessoa. Elas passam a acreditar naquilo e, por um instante, tomam o sentimento emprestado, como se fosse delas. É por isso que elas gostam tanto dos finais felizes."

Ou assim:

“... Machado de Assis já dizia que 'o tempo é um rato roedor de coisas'. Aproveite-o enquanto o tem, minha rosa. Quando chegar à minha idade, você vai entender o valor que as lembranças têm de verdade, pois elas serão tudo o que lhe resta."

E olhem isso:

"A vida é feita dos momentos que vivemos. Se serão eternos ou passageiros, depende apenas da importância que damos a eles."

E o meu preferido:

“O infinito não pertence ao futuro; ele pertence ao presente."

Então, se vocês procuram um livro lindo, que vai aquecer seu coração e te fazer desejar um daqueles um daqueles amores arrebatadores, mas que chegam bem de mansinho, essa história é para você. Se joga e vem se apaixonar por Malu e Luiz.

A Autora

Samanta Holtz nasceu em 1987, no Dia Mundial do Livro, 23 de abril.
Publicitária de formação, aprendeu a ler sozinha aos 5 anos, pois era enorme sua vontade de entender as histórias que a mãe lia para ela. Aos 9, ganhou o primeiro prêmio por escrever, ao vencer o concurso de redação de sua cidade, Porto Feliz, no interior de São Paulo. Sua primeira publicação aconteceu em 2012, com o romance de época O pássaro (Novo Século), vencedor dos prêmios de votação de público e júri técnico no concurso Destaques Literários 2012, promovido pelos blogueiros literários brasileiros. Em 2013 publicou Quero ser Beth Levitt e, em 2014, Renascer de um outono (ambos pela Novo Século). Em 2014, recebeu o Prêmio Anita Garibaldi, com a nomeação de Escritora Humanitária. É colunista das revistas Terraço e Zero15, de sua cidade, colaboradora do site Novos Escritores e tem um fã-clube, o Loucos por Samanta Holtz. Estreia agora na Editora Arqueiro com o apaixonante romance Quando o amor bater à sua porta.

Avaliação (5/5) 💗






B-jussssss! ♥
;-p

Comente com o Facebook:

2 comentários :

  1. Olá Samanta =)
    Que legal você ter tido a oportunidade de conhecer a autora. Já vi algumas resenhas desse livro e cada uma dela me mostra que o livro apresenta ser melhor do que eu imaginava. Sua resenha ficou sensacional. Todas as citações estão ótimas, mas a primeira e maior citação foi a que me conquistou. Já anotei a dica. Beijos'

    ResponderExcluir
  2. Olá,

    Estou louca pra ler esse livro. Conheci a Samantha na bienal também, ela é um amor de pessoa. A história parece ser muito bonita.

    Beijos,
    Gaby

    ResponderExcluir

Oi! Muito obrigada pela visita!
Deixe aqui seu comentário, vou adorar receber!
B-jussss! ♥
;-p

Frase da Semana

"Ler é comer e beber. O espírito que não lê emagrece como um corpo que não come."

Victor Hugo

QUEM LÊ, SABE PORQUÊ - Copyright © 2013 - Todos os Direitos Reservados