O Diário de Bridget Jones - Helen Fielding


FIELDING, Helen. O diário de Bridget Jones. Tradução Beatriz Horta. São Paulo : Paralela, 2016. 288 p. (Bridget Jones, v.1). Título original: Bridget Jone’s Diary. Skoob.

Sinopse
“Bridget Jones está de volta em uma edição comemorativa de 20 anos.
Inteligente, sarcástico, hilário, atual. Estas são as características que fizeram de O diário de Bridget Jones um grande sucesso de vendas. Escrito na forma de diário, o romance relata um ano na vida de Bridget Jones, uma solteira de trinta e poucos anos, que luta com todas as forças para emagrecer, encontrar um namorado, parar de beber e largar o cigarro. Uma história aparentemente comum, mas narrada em estilo impecável e com extrema sensibilidade pela jornalista britânica Helen Fielding. Bridget trabalha em uma editora, mora sozinha, é apaixonada por seu chefe e cultiva o hábito de conversar com amigas que, em torno de uma mesa de bar, sempre têm soluções teóricas para todos os problemas. É impossível ler este diário e não se identificar com a protagonista. O mundo está mesmo repleto de Bridgets.
Bridget Jones já é uma personagem querida por milhões de leitores. Seja pelas desventuras amorosas ou pelos problemas com os pais, é muito fácil se identificar (e se encantar) com a personagem criada por Helen Fielding. Nesta nova edição comemorativa dos vinte anos de lançamento do primeiro livro, os fãs antigos terão a chance de reencontrá-la e os novos leitores descobrirão uma paixão por este clássico! Bridget continua atual e afiada como nunca: uma personagem tão perfeitamente imperfeita para ajudar todos aqueles que já se sentiram incapazes de tomar as rédeas da própria vida.”

Li o Diário de Bridget Jones há muitos anos, antes de ter o blog (ou seja, muitos anos mesmo!) e naquela época fiquei completamente encantada com a história que tem como heroína uma mulher mais velha, moderna e que vive dilemas muito parecidos com os meus. O livro foi minha porta de entrada para os chick-lits e depois dele virei uma fã incondicional do gênero.

Bridget Jones é uma jornalista de 30 e poucos anos, que fuma e bebe muito, vive insatisfeita com seu peso e tem uma paixonite por seu chefe, Daniel Cleaver. Durante as festas de fim de ano, ela decide que já é hora de mudar sua vida e começa a escrever um diário onde anota seu peso e quantos cigarros e unidades alcoólicas foram ingeridas durante o dia e é por meio deste diário que acompanhamos suas aventuras. Os problemas com os pais, principalmente com a mãe que não tem muita noção e vive tentando casar a moça. As dificuldades no trabalho e sua busca para se firmar profissionalmente. Suas inseguranças e incertezas quanto ao corpo e seu desejo de ter um relacionamento sério.

Durante seu percurso, ela se mete em muito confusão e acreditem, o livro é hilário! Por ter esse formato de diário, nos sentimos muito próximos à ela e conseguimos ter uma perfeita compreensão do que a motiva e do que a assusta. O leitor sente como se estivesse em uma conversa com Bridget onde ela desabafa sem hesitar todos os seus pensamentos. Trabalho, família, romance, amigos auto estima, nada passa batido por ela. E nessa releitura, me impressionou pensar que o livro já tem 20 anos porque Bridget continua atual e afiada como nunca!

A história de Bridget é tão comum que é impossível não se identificar com a personagem. Os problemas que ela enfrenta com seus pseudo-relacionamentos e as cobranças sociais que acontecem com a maioria das mulheres que vivem a mesma situação, a preocupação constante dela continuar solteira depois dos 30, as perguntas inconveniente quanto ao seu peso e trabalho. É incrível como ainda vivemos sob a mesma égide, que mulheres ainda precisem pautar suas vidas e suas escolhas baseadas no tamanho de seus corpos e de seu status amoroso.

Helen Fielding tem um texto maravilhoso e envolvente e conseguiu criar uma história divertida e realista.  Dosando comédia e romantismo, ela criou uma personagem que representa muitas mulheres que, se enxergando através dela, aprender a lidar com seus defeitos, a se amarem e se respeitarem com são. Além disso, o livro tem um bônus especial por ser um releitura moderna de Orgulho e Preconceito, com várias semelhanças no enredo e nos personagens. A própria Bridget é obcecada pelo livro e está sempre falando sobre ele.

Enfim, esse relançamento é uma excelente oportunidade para aqueles que, como eu, querem matar as saudades dessa personagem única e que já virou um clássico da literatura moderna. E também mais uma chance para aqueles que nunca leram se renderem aos encantos de Bridget Jones!

Série Bridget Jones

  1. O Diário de Bridget Jones
  2. Bridget Jones no Limite da Razão
  3. Bridget Jones - Louca pelo Garoto
  4. O Bebê de Bridget Jones

A Autora

Nasceu em Yorkshire, Inglaterra, em 1958. Formada em jornalismo, trabalhou para a rede de televisão BBC. Responsável por um dos maiores fenômenos literários da década de 1990 — O diário de Bridget Jones —, Helen Fielding deu origem a um novo gênero de literatura, os romances bem-humorados para mulheres modernas. A protagonista do livro ganhou as telas de cinema em 2001, no filme homônimo estrelado por Renée Zellweger.

Avaliação (5/5)






B-jusssssss! ♥
;-p

Comente com o Facebook:

4 comentários :

  1. Oi Nina, tudo bem?

    Tenho muita curiosidade de ler esse livro, pois todas as pessoas falam muito bem da obra. A personagem parece ser realmente cativante, aquele que tira boas risadas, mas também te alerta para certos preconceitos enraizados na nossa sociedade, como o fato de uma mulher de 30 ser ainda solteira. Se eu estiver errada, me corrija, mas foi isso que senti enquanto lia sua resenha.
    Adoro narrativas que seguem a linha de um diário, sempre me cativam e me fazem sentir amiga da personagem, íntima viu?! haha Adorei sua resenha e irei ler, pode ter certeza!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  2. Eu comecei a ler chick-lits em 2015, ou seja, há bem pouco tempo e não são todos os que me agradam. Por incrível que pareça, os nacionais me cativaram mais que os ingleses. Eu não li este livro, e vi muito pouco do filme, mas sempre vi resenhas positivas. Acho que vou tentar mais uma vez a leitura, quem sabe? ;)

    ResponderExcluir
  3. Não leio muitos chick lit, mas condfesso que tenho uma curiosidade comunal quanto a esse livro!
    Eu já assisti o filme e amei, se bem que sou fã da atriz, então minha opinião não é tão imparcial.
    Amei a sua resenha, ela despertou ainda mais a minha curiosida, ou seja: EU PRECISO LER ESSE LIVRO!
    Abs e parabéns pelo post ^^

    ResponderExcluir
  4. Olá!
    Eu sou apaixonada pelos filmes de Bridget Jones,mas nunca li os livros. Tentarei lê-los até o final do ano.
    beijos!

    ResponderExcluir

Oi! Muito obrigada pela visita!
Deixe aqui seu comentário, vou adorar receber!
B-jussss! ♥
;-p

Frase da Semana

"Ler é comer e beber. O espírito que não lê emagrece como um corpo que não come."

Victor Hugo

QUEM LÊ, SABE PORQUÊ - Copyright © 2013 - Todos os Direitos Reservados