Outlander: A Cruz de Fogo, parte 2 - Diana Gabaldon



GABALDON, Diana. Outlander: A Cruz de Fogo, Parte 2. Tradução Carolina Caires Coelho.São Paulo: Editora Arqueiro, 2017. 592 p. (Outlander, v.05). Título original: The fiery cross. Skoob. Comprar.

Sinopse

Uma história sobre lealdade.

Não há mais como escapar: a guerra está diante de Jamie, Claire e sua família. Quando as tensões entre o governo e os rebeldes se acirram, a milícia é convocada mais uma vez e o conflito chega ao clímax na Batalha de Alamance.
De volta ao vilarejo onde moram, os Frasers e os MacKenzies ainda terão que enfrentar diversas tribulações, que acabarão aproximando Jamie e seu genro, Roger. Os dois tramam um plano para acabar com Stephen Bonnet, o sórdido capitão que violentara Brianna, pondo em dúvida a paternidade de seu filho, Jemmy.
Em meio a várias revelações, o mais surpreendente é o retorno inesperado de um conhecido, que traz uma pista capaz de desvendar os mistérios que cercam os viajantes do tempo.
Grandiosa, envolvente e inesquecível, a segunda parte de A cruz de fogo é uma vibrante mistura de fatos históricos e dramas humanos.

Siiimmmm! É mais uma resenha de Outlander! A série que eu mais amo, que não canso de recomendar e que, para a sorte do mundo, está conquistando um número cada vez mais fãs. Bom, já estamos no quinto volume da série e a essa altura é bem difícil prometer uma resenha sem spoilers, mas prometo não entregar nada que já não esteja nas sinopses. Então, se você ainda não leu, se quer ler ou já é um fã convicto como eu, vem comigo falar de A Cruz de Fogo, parte 2.

Claire e Jamie já passaram por muito coisa: enfrentaram uma guerra na Escócia, conspirações políticas na França, se perderam por vinte anos e voltaram a se encontrar, se mudaram para a colônia americana, reencontraram a filha Brianna e genro Roger, perderam pessoas que amavam muito, viraram avós e proprietários de terras. Foram muitas alegrias e muitas tristezas, mas o final feliz ainda está muito longe. Claire sabe que a Guerra de Independência se aproxima e, mais uma vez, Jamie está do lado errado. Como ele recebeu um grande lote de terras do governador, agora ele tem que lutar ao lado da coroa inglesa que está fadada a perder a guerra. Como proteger seus colonos e sua família do que está por vir? 

Ele tinha razão; não havia escolha agora, e essa constatação me deu um pouco de paz. O que estivesse por vir, viria. Nós o enfrentaríamos da melhor maneira que pudéssemos e esperaríamos sobreviver. E só. Se não sobrevivêssemos, talvez eles sobrevivessem.

Se na parte 1 de A Cruz de Fogo eu achei que a narrativa se alongou muito, na parte 2 eu fiquei completamente envolvida e apaixonada pelo livro. Diana Gabaldon voltou a narrativa que me rendeu à Outlander e esse volume é repleto de ação, aventura e cenas empolgantes. Depois de tantos acontecimentos, a série já não diz respeito apenas à Jamie e Claire e agora Brianna e Roger ocupam boa parte da história. No começo isso me incomodou um pouco, eu não conseguia sentir o mesmo carisma e empatia por eles que sinto por Claire e Jamie, mas agora percebo que isso é ciúmes de leitora apaixonada. Os dois se firmaram com um casal e amadureceram juntos e agora torço demais por eles.

Mas esse processo não foi nada fácil e os dois quase se perderam pelo caminho. Criados no século XX, Brianna e Roger tiveram muitas dificuldades para se adequarem ao século XVIII. No entanto, Brianna é independente e adaptável como sua mãe e forte e teimosa como o pai, por isso acaba se saindo melhor do que o marido. Roger é um historiador que nunca manipulou uma arma ou fez trabalhos braçais, por isso luta contra sua inadequação, mas o amor dele por Brianna e pelo filho Jemmy vai superar todas as dificuldades.

Outro ponto muito positivo do livro é que Jamie e Roger finalmente se entenderam e começaram a trabalhar juntos. Jamie passa a respeitar o genro e Roger a entender o sogro, o que vamos combinar que não é tarefa fácil, já que mais de 200 anos separam os dois homens. E juntos eles vão buscar um meio de caçar Stephen Bonnet e vingar Brianna, e para isso eles vão enfrentar batalhas, forcas, ursos, cobras, emboscadas e o que mais vier pelo caminho.

Jamie era um escocês das Terras Altas. Embora Deus insista que a vingança cabe a Ele, nunca conheci nenhum homem das Terras Altas que achasse certo deixar que Deus lidasse com essas questões sem ajuda. Deus fizera o homem por uma razão, e no topo da lista dessas razões estavam a proteção da família e a defesa da honra - a qualquer preço.

Cheio de ação, de emoção, de aventura e mergulhado no ambiente colonial americano, Outlander é vida! Eu sou completamente apaixonada por essa série e para mim esse volume foi um dos melhores. Se você ainda não leu, não sabe o que está perdendo. Sei que o número de livros (e de páginas) pode assustar um pouco, mas garanto que cada um vale a pena!


Série Outlander

  1. A Viajante do Tempo
  2. A Libélula no  Âmbar
  3. O Resgate no Mar (parte 1 e parte 2)
  4. Os Tambores de Outono (parte 1 e parte 2)
  5. A Cruz de Fogo (partes 1 e parte 2)
  6. Um Sopro de Neve e Cinzas 
  7. Ecos do Futuro 
  8. Written in My Own Heart’s Blood (ainda não lançado no Brasil)


A Autora

Diana Gabaldon cresceu no Arizona, EUA, e é de ascendência mexicana-americana e inglesa. Tem formação em Zoologia, Biologia Marinha e Ecologia. Foi professora universitária durante mais de doze anos antes de se dedicar à escrita em tempo integral. Sua série Outlander se transformou em um enorme sucesso mundial, tendo sido adaptada para a TV em 2014. Vive atualmente em Scottsdale, no Arizona.

Avaliação (5/5)

B-jusssss!
;-p

4 comentários:

  1. Eu queria tanto me empenhar pra ler essa série haha mas o tamanho me assusta e não é um gênero que tenho tanta afinidade. Mas sua resenha só me deixou com ainda mais vontade haha quem sabe eu nao arrisco pelo menos no primeiro, ne?

    ResponderExcluir
  2. Olá!
    Nunca me arrisquei a ler/ver Outlander, mas minha mãe é apaixonada. Ela é muito mais fã de romances históricos do que eu. Eu não sei bem como funciona a questão dos viajantes do tempo, então essa conversa de século XX e século XVIII me deixou para lá de confusa. De qualquer forma, só tenho visto resenhas positivas a respeito dessa série, então estou ficando cada vez mais inclinada a procurá-la

    ResponderExcluir
  3. Oi Nina! Eu tenho uma amiga que, como você, ama essa série. Mas eu mesma ainda nao rendi, o tamanho dos livros e da série me assuta muito e não me vejo lendo-a num futuro próximo. Quem sabe quando a autora terminar de escrever todos os livros eu nao crie coragem para lê-la?!
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  4. Oi Nina.

    Eu tenho apenas o primeiro livro da série e também ainda não consegui colocar A Viajante do Tempo na meta de leitura. Quando comprei eu comecei seguir a série de TV e acabei deixando de lado o livro. Com a sua opinião eu fiquei com vontade de começar a serie. Anotei sua dica, pois adorei sua resenha. Parabéns.

    Bjos
    https://historiasexistemparaseremcontadas.blogspot.com/

    ResponderExcluir

Oi! Muito obrigada pela visita!
Deixe aqui seu comentário, vou adorar receber!
B-jussss! ♥
;-p