O Oceano no Fim do Caminho - Neil Gaiman


GAIMAN, Neil. O Oceano no Fim do Caminho. Tradução: Renata Pettengill. Rio de Janeiro: Intrínseca, 2013. 208 páginas. Título original: The ocean at the end of the lane. Skoob.

Sinopse:
"Foi há quarenta anos, agora ele lembra muito bem. Quando os tempos ficaram difíceis e os pais decidiram que o quarto do alto da escada, que antes era dele, passaria a receber hóspedes. Ele só tinha sete anos. Um dos inquilinos foi o minerador de opala. O homem que certa noite roubou o carro da família e, ali dentro, parado num caminho deserto, cometeu suicídio. O homem cujo ato desesperado despertou forças que jamais deveriam ter sido perturbadas. Forças que não são deste mundo. Um horror primordial, sem controle, que foi libertado e passou a tomar os sonhos e a realidade das pessoas, inclusive os do menino. Ele sabia que os adultos não conseguiriam — e não deveriam — compreender os eventos que se desdobravam tão perto de casa. Sua família, ingenuamente envolvida e usada na batalha, estava em perigo, e somente o menino era capaz de perceber isso. A responsabilidade inescapável de defender seus entes queridos fez com que ele recorresse à única salvação possível: as três mulheres que moravam no fim do caminho. O lugar onde ele viu seu primeiro oceano".
Fala galera, como prometido a resenha dessa semana é de O oceano no fim do caminho, do Neil Gaiman. O livro foi lançado no Brasil em 2013 pela Intrínseca, a qual é detentora dos direitos de publicação de outras obras desse autor. Todavia, Gaiman já escreveu vários livros, e outras editoras também já publicaram suas histórias.

A sinopse acima é a que encontramos no site da editora, porém, no livro, mais precisamente na orelha da capa, a sinopse é diferente: "Sussex, Inglaterra. Um homem de meia-idade volta à casa onde passou a infância para um funeral. Embora a construção não seja mais a mesma, ele é atraído para a fazenda no fim da estrada, onde, aos sete anos, conheceu uma garota extraordinária, Lettie Hempstock, que morava com a mãe e a avó. Ele não pensava em Lettie há décadas, mas mesmo assim, ao se sentar à beira do lago (o mesmo a que ela se referia como um oceano) nos fundos da velha casa de fazenda, o passado esquecido volta de repente. E é um passado estranho demais, assustador demais, perigoso demais para ter acontecido de verdade, especialmente com um menino. Quarenta anos antes, um homem cometeu suicídio dentro de um carro roubado no fim da estrada que dava na fazenda. Sua morte foi o estopim, com consequências inimagináveis. A escuridão foi despertada, algo estranho e incompreensível para uma criança. E Lettie — com sua magia, amizade e a sabedoria digna de alguém com muito mais de onze anos — prometeu protegê-lo, não importava o que acontecesse. Trabalho revolucionário de um mestre de literatura, O oceano no fim do caminho demonstra um raro entendimento daquilo que nos torna humanos e mostra o poder que as histórias tem de revelar e, ao mesmo tempo, de nos proteger dos perigos dentro e fora de nós. É uma fábula emocionante, assustadora e melancólica. Um convite a repensar a escuridão que espreita as memórias da infância".

A história é narrada por um homem de meia-idade, cujo nome não sabemos (é isso aí, o autor não nos conta o nome do protagonista... hum, talvez porque o próprio Neil Gaiman tenha se incluído na história). E em virtude de um velório, ele retorna a cidade onde viveu quando criança, e decide parar na casa de fazenda onde morava sua amiga Lettie, com a mãe e a avó. Porém, Lettie não reside mais ali, apenas suas ascendentes. A fazenda fica no fim da estrada, e nela há um lago, o qual Lettie teimava em chamá-lo de oceano. Está aí o motivo do título do livro. Bem, o narrador e protagonista não se lembra de muitas coisas do passado, mas quando se senta em frente ao lago, ele começa recobrar as lembranças da infância, e é então que passa a contar ao leitor o que aconteceu quando ele tinha apenas sete anos de idade. Ele era um garoto excluído, tanto que nenhum outro menino apareceu em sua festa de aniversário. Mas supria esses problemas com os livros que ganhava. Adorava ler tanto quanto gostava de animais. E toda a trama é desencadeada por um minerador, que vivia no quarto do garoto, alugado pela família que precisava de dinheiro. Certa noite o minerador rouba o carro dos pais do garoto e no final da estrada, próximo da fazenda de Lettie, se suicida. Esse fato desperta a escuridão e tudo acontece a partir disso.

Trata-se de um livro de fantasia, pois há elementos fantásticos. Elementos estes com os quais o leitor vai se deliciar e se assustar. Ao mesmo tempo que a história traz encantamento, também traz angústia e medo, prendendo o leitor até o fim.

As personagens são bem desenvolvidas e cativantes. Todo aquele que cresceu em meio aos livros vai criar facilmente uma empatia com o protagonista. Se sofreu com os problemas de infância, que quase toda criança sofre, então a conexão será certa. Não falarei sobre o antagonista, pois deixarei que vocês acompanhem a construção da personagem enquanto leem a história.

Durante a leitura, não pude evitar fazer algumas relações das personagens com a mitologia greco-romana. A lenda de Perseu e a Medusa, e as três bruxas as quais possuíam um olho apenas que era usado por todas, alternadamente. Aliás, essas bruxas guardavam o caminho que conduzia à morada das Górgonas (hum... o caminho que conduz a um lugar especial... coincidência?) Poderia o lago/oceano ser o caminho para as Górgonas? Não sei, leia e tire suas próprias conclusões.

No fim, fiquei com a sensação que pode rolar uma continuação.

Se eu gostei? Sou suspeito pra falar de Neil Gaiman, pois pra mim ele é o cara, é fodástico. Pra quem não conhece, Gaiman é o escritor da história de Sandman, que será referência em HQ por muitos anos, talvez séculos. E escreveu ainda outras histórias que ficarão na nossa cabeça por muito tempo, como o Livro do Cemitério, Deuses Americanos (que, em breve, se tornará uma série de TV), Coraline (que virou filme produzido em stop-motion em 2009) e Stardust (que também virou filme em 2007: Stardust - o mistério da estrela). É verdade que Gaiman também escreveu algumas histórias que não caíram na graça dos leitores, como: Lugar nenhum, mas O oceano no fim do caminho está entre os melhores livros desse autor.

A capa ficou Top. Foram muito felizes no projeto gráfico. Ela é produzida em tons de azul fosco, com letras brancas brilhantes e em alto relevo. A cor azulada da capa nos remete ao lago/oceano da fazenda. E há, ao que parece, uma garota com vestido branco, imóvel e submersa. Tem tudo a ver com o livro. A diagramação ficou excelente, muito bem feita. O projeto gráfico original é de Jamie Lynn Kerner e a adaptação de capa é de Julio Moreira. O livro utilizado é a primeira edição nacional de junho de 2013. Papel de miolo: pólen soft 80g/m². Papel de capa: papel supremo alta alvura 250g/m². Tipologia: centaur.

Até semana que vem, galera. Vou providenciar algo legal pra vocês. Grande abraço.

O Autor

Neil Richard Gaiman, nasceu 10 de novembro de 1960, em Portchester, um distrito do condado de Hampshire, na Inglaterra. É um autor de romances e histórias em quadrinhos. Atualmente, vive em Minneapolis, nos Estados Unidos da América e é casado com Amanda Palmer, da banda Dresden Dolls. Entre suas obras estão "Deuses Americanos" e "Belas Maldições", esta última em parceria com Terry Pratchett; e uma das suas obras mais conhecidas é "Sandman", uma HQ que tem como personagens principais Sandman, a personificação antropomórfica do Sonho, também conhecido como Morpheus, numa referência à mitologia grega, e seus irmãos: Morte, Destino, Delírio, Desejo, Desespero e Destruição.

Avaliação (5/5)





Sobre Lucas Junior

Sou um sonhador incorrigível, fascinado por motociclismo e literatura. Onde pode me encontrar? Por aí, revisando uma nova história prestes a ser contada. Minha primeira publicação foi "A Conspiração dos Números", em uma antologia organizada pela escritora Lycia Barros e o selo Ases da Literatura. Atualmente, estou focado na revisão final do livro de fantasia "O Explorador de Mundos - A Esfera de Cristal" (as histórias estão disponíveis no Wattpad e Widbook), para depois continuar outros três projetos voltados para o seguimento da literatura policial. Entre, fique a vontade e desfrute das tramas que atormentam a minha cabeça. Malucas? Me diga você. E entre uma coisa e outra, vou fazendo algumas resenhas para o blog da Nina (Quem Lê, Sabe Porquê).

Comente com o Facebook:

8 comentários :

  1. Déborah Araújo13 de maio de 2015 19:36

    Lucas, acredita que nunca li um livro do Neil Gaiman só os quadrinhos.

    Tenho esse livro, mas ainda não consegui ler.

    Se eu quero? Demais.

    Acho impossível não gostas, afinal Neil Gaiman é Neil Gaiman.

    Adorei a sua relação com a mitologia greco-romana e só fez minha vontade aumentar.

    Amor por mitologia ♥


    Lisossomos

    ResponderExcluir
  2. Luciana Martinho13 de maio de 2015 19:56

    OI Lucas!

    Eu comecei esse livro e abandonei porque tinha outras leituras para fazer e o primeiro capítulo foi meio arrastado para mim, mas agora, com a sua resenha, acho que tenho que dar mais uma chance para ele. É o meu tipo de livro, certeza! Você deu cinco estrelas e fez uma excelente resenha, nada mais justo do que dar mais uma chance para esse livro que tem um nome e uma capa maravilhosos!

    Beijos

    LuMartinho

    ResponderExcluir
  3. Oi Lucas!

    Eu já ouvi muitos comentários bons sobre o livro, mas meu interesse por ele acabou quando eu percebi que o autor acrescentou fantasia na trama, que para mim não foi necessário, já que eu achei que a história tomava um rumo totalmente diferente (que seria até melhor, na minha opinião).

    Mas ainda sim pretendo ler algo do autor, já que ele é um dos mais cobiçados nesse mundo literário!

    Abraços

    http://ummundochamadolivros.blogspot.com.br/2015/05/lancamentos-de-maio-editora-saida-de.html

    ResponderExcluir
  4. Olá, Gustavo. Cara, falar em Neil Gaiman é falar em fantasia, não tem como separar um do outro. E já que pretende ler algo do Gaiman, tente "Entremundos". Dá uma olhada na sinopse dele, acredito que você possa gostar. Tem uma pegada mais científica, porém, também tem fantasia. Como eu disse, não há como separar fantasia e Gaiman. Em breve, trarei resenha de Entremundos. Grande abraço, amigo.

    ResponderExcluir
  5. Olá, Luciana. Realmente a capa e o título ficaram excelentes. Como eu disse na resenha, sou suspeito ao falar de Neil Gaiman. Embora tenha escrito algumas histórias que não me agradaram, pra mim ele é fantástico. Assim, a resenha tem uma certa parcialidade, não tive como me desvencilhar disso. E sobre o desenvolvimento, concordo contigo, à princípio a história segue devagar, mas depois ela deslancha. Tente ler outra vez. Grande abraço, querida.

    ResponderExcluir
  6. Olá, Déborah. Se leu os quadrinhos do Gaiman, então você começou pela melhor parte, pois eles estão entre as boas histórias que Neil escreveu. Sandman é TOP (PS. Pra quem estiver lendo, vale ressaltar: os desenhos não são do Gaiman, são de parceiros. Dele são as histórias). Quanto a relação com a mitologia, tive essa sensação durante a leitura. Como você gosta de mitologia, talvez também perceba isso. Grande abraço.

    ResponderExcluir
  7. Eu sempre ouço falar bem do autor e do livro e esse está na minha lista de desejados do Skoob, apesar de que o que estou desejando mais nesse momento é o lançamento e acho que a leitura desse vai ficar para depois. Adorei a resenha, que falou um pouco mais do que tem na sinopse. Bjs


    Território nº 6

    ResponderExcluir
  8. Olá, Gleyse. Fico feliz que tenha gostado da resenha, valeu. Espero que goste da história. Grande abraço.

    ResponderExcluir

Oi! Muito obrigada pela visita!
Deixe aqui seu comentário, vou adorar receber!
B-jussss! ♥
;-p

Frase da Semana

"Ler é comer e beber. O espírito que não lê emagrece como um corpo que não come."

Victor Hugo

QUEM LÊ, SABE PORQUÊ - Copyright © 2013 - Todos os Direitos Reservados