Eu Estive Aqui - Gayle Forman


FORMAN, Gayle. Eu Estive Aqui. Tradução: Fabiano Morais. São Paulo: Arqueiro, 2015. 240 p. Título original: I was here. Skoob.

Sinopse:
“Quando sua melhor amiga, Meg, toma um frasco de veneno sozinha num quarto de motel, Cody fica chocada e arrasada. Ela e Meg compartilhavam tudo... Como podia não ter previsto aquilo, como não percebera nenhum sinal?
A pedido dos pais de Meg, Cody viaja a Tacoma, onde a amiga fazia faculdade, para reunir seus pertences. Lá, acaba descobrindo muitas coisas que Meg não havia lhe contado. Conhece seus colegas de quarto, o tipo de pessoa com quem Cody nunca teria esbarrado em sua cidadezinha no fim do mundo. E conhece Ben McCallister, o guitarrista zombeteiro que se envolveu com Meg e tem os próprios segredos.
Porém, sua maior descoberta ocorre quando recebe dos pais de Meg o notebook da melhor amiga. Vasculhando o computador, Cody dá de cara com um arquivo criptografado, impossível de abrir. Até que um colega nerd consegue desbloqueá-lo... e de repente tudo o que ela pensou que sabia sobre a morte de Meg é posto em dúvida.
Eu estive aqui é Gayle Forman em sua melhor forma, uma história tensa, comovente e redentora que mostra que é possível seguir em frente mesmo diante de uma perda indescritível.”

Não sei se vocês também são assim, mas sempre que vou começar um livro novo eu analiso a capa, sinto o cheiro e dou uma olhadinha na última frase. Geralmente não faz o menor sentido, mas adoro imaginar as coisas que acontecerão para que eu entenda o que li. Junto com a última frase, eu encontrei a Nota da Autora, e ali estava um texto que mudou completamente a leitura desse livro.

Nessa nota, Gayle Forman conta que encontrou inspiração para o livro quando escreveu um artigo sobre suicídio e através dele conheceu a história de Suzy Gonzales, uma jovem de 19 anos que cometeu o suicídio por causa da depressão. Gayle fala sobre todos os sonhos e possibilidades que a garota perdeu, do sofrimento dos amigos e família e que Suzy lhe inspirou a criar Meg. Ler esse texto fez com que a história ficasse muito real para mim e me emocionou profundamente!

Cody e Meg são amigas de infância e a relação delas é quase simbiótica, são tão grudadas que são chamadas de Unha e Carne; entretanto elas não poderiam ser mais diferentes. Meg tem uma família estruturada e amorosa, é extrovertida e vive rodeada de gente. Cody não sabe quem é seu pai e sua mãe não esconde que preferia não ter engravidado, desde muito cedo precisou aprender a se cuidar sozinha já que não podia contar com a mãe, ela é ranzinza e um pouco mal humorada e tem a incrível capacidade de afastar as pessoas. Sendo assim, as duas se completavam. A relação delas muda quando Meg ganha uma bolsa de estudos para fazer faculdade em Tacoma e Cody fica, já que não dinheiro para frequentar a universidade, e vai fazer faxina para pagar as contas.

Aos poucos elas vão se distanciando, mas mesmo assim Cody nunca imaginou que estivesse tão longe de quem Meg realmente é, até ela cometer o suicídio. A partir daí, Cody tenta entender o que aconteceu, quais motivos levaram Meg a por fim a própria vida já que tudo parecia estar indo tão bem para ela. Tudo fica mais claro quando ela encontra arquivos criptografados no computador de Meg e descobre que a amiga fazia parte de um grupo de apoio ao suicídio. Só que esse grupo fazia o trabalho ao contrário, na verdade seus integrantes ajudavam e incentivavam as pessoas a cometerem o suicídio de maneira mais eficiente. Cody então percebe que Meg pode não ser a única responsável por sua morte.

Enquanto eu lia o livro, sentia que a intenção de Gayle Forman foi mais uma denúncia, um alerta para prevenção da depressão,e nesse sentido, ela escreveu uma grande obra. Ela fez pesquisas, retratou a realidade e criou personagens incrivelmente reais.

A depressão é uma doença grave, que acomete um número cada vez maior de pessoas e que nem assim é encarada com seriedade. Muita gente acha que é frescura, que é falta de religião, ou algo que a pessoa possa controlar. Poucos entendem que é psicossomático, que é necessário um tratamento sério e que os episódios podem voltar e se repetir, mesmo com tudo estando perfeito na vida da pessoa. Além disso, há a vergonha de quem tem e de quem convive com os doentes, como se houvesse culpa em se ter uma doença. E é essa vergonha que fica clara no livro.

Cody não fazia ideia do que a amiga passava e por isso se sente culpada, porque sabe que se soubesse o que estava acontecendo o fim da história poderia ser outro. E eu acredito que realmente poderia ter sido diferente sim. É um equívoco muito grande se envergonhar ou tentar esconder a depressão, porque assim perde-se a chance de encontrar auxílio, conforto e até mesmo de ajudar a quebrar tabus sobre essa doença. E é aí que fica clara a mensagem do livro, você não está sozinho na luta contra a depressão, você pode e deve pedir ajuda e conversar com as pessoas, porque juntos somos fortes. Calar é um erro que pode custar caro.

Assim que Cody começa a investigar, ela mergulha em uma jornada de autoconhecimento e de tentar refazer sua vida sem Meg. Ela conhece seus amigos de faculdade, e Ben, o músico por quem a amiga estava apaixonada e por quem ela não quer se apaixonar. É impressionante o quanto ela cresce durante a história e eu amo quando isso acontece.

A escrita de Gayle Forman continua incrível. A mesma sensibilidade e emoção que eu já tinha experimentado nos livros anteriores e repleta de metáforas e figuras de linguagem. Ela consegue contar uma história tão densa e triste de uma maneira leve, tanto que a leitura fluiu muito rapidamente. Os diálogos são inteligentes e os personagens são muito bem construídos, até mesmo os secundários, e a gente fica com aquela sensação de que essas pessoas fictícias fazem parte da nossa vida.

Eu Estive Aqui é um livro forte, comovente e que vai mexer com sua cabeça. Falar sobre o suicídio de uma maneira tão clara e direta como Gayle Forman fez foi muito corajoso, mas se você não estiver numa fase boa, com certeza vai sair abalado da leitura.

A Autora

Gayle Forman começou sua carreira entre as letras como jornalista, mas, aos 34 anos, ingressou no mundo dos livros. É autora dos best-sellers Se Eu Ficar e Para Onde Ela Foi, além de outras obras de sucesso. Eu Estive Aqui já teve os direitos negociados para o cinema. Atualmente, Gayle mora no Brooklyn com o marido e as filhas.


Avaliação (5/5)






B-jusssss! ♥
;-p

Comente com o Facebook:

29 comentários :

  1. Eu nunca li nada da autora. Comecei a leitura de "Se eu ficar", mas ela ainda não deslanchou. Porém, darei mais uma chance, certamente. Esse livro me chamou atenção. :)

    Mas uma coisa interessante é que aparentemente todos os livros dela têm o mesmo padrão de capa, hahahaha Acho legal isso, é algo que se pode perceber também nos livros da Lya Luft e do García Márquez.

    Beijo! ;*
    http://miasodre.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Nossa, fiquei com muita vontade de ler. Antes de comentar fui até baixar o e-book.
    Beijo
    www.fofocas-literarias.blogspot.pt

    ResponderExcluir
  3. Só li dois livros da autora, mas eles não me conquistaram muito e por esse motivo não fui a procura dele, mas ando lendo algumas resenhas positivas e gostei da sua. <3

    Luxuoso Estilo

    http://luxuosoestilo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Até hoje só li Se eu ficar e Para onde ela foi mais gosto muito da autora, tem gente que não suporta ela, né, vamos fazer o que? Hehe. Quero muito ler os outros livros da autora, principalmente Eu Estive aqui :)


    Abraços!
    http://lendocomobiel.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Nina, ainda não criei vergonha na minha cara e li algo da Gayle, até tenho livro dela, mas ainda não li.
    Eu tenho um pouco de medo de ler porque as pessoas falam tanto e fico com medo de não achar TÃO maravilhoso como todo mundo acha.
    Mas acho improvável não me comover com a história de Meg.
    Adoro livros que mexem assim com nossas emoções.

    ResponderExcluir
  6. Oi Nina, eu tenho muita vontade de ler esse livro, a premissa dele é muito forte e chama minha atenção, eu gosto de livros que comovem o leitor e que se trata de um assunto mais sério, Eu já li outras obras da autora e me encantei com a sua escrita, tenho certeza que não irei me decepcionar com esse livro!

    Beijos

    http://www.oteoremadaleitura.com

    ResponderExcluir
  7. Oi Nina!
    Estou com o livro aqui na pilha para ler \o/ Quero começar logo a leitura ;)

    Bjks!

    http://www.historias-semfim.com/

    ResponderExcluir
  8. Oiiie
    Quero muito ler esse livro e caramba, achei bem legal o fato da Gayle ter se inspirado em um personagem real para fazer o livro.
    Também tenho mania de fazer esse ritual antes da leitura kkkk
    Amei sua resenha

    ResponderExcluir
  9. Oi, tudo bem?
    Eu li um livro da autora e não gostei, com isso fiquei meio desanimada com ela, sabe? Mas esse livro chama bastante a minha atenção, toda essa questão de amizade e suicídio, acho que deve ser realmente bem emocionante, por isso já quero ler e vou solicitar para a editora :3

    Beijos :*
    Larissa - srtabookaholic.blogspot.com

    ResponderExcluir
  10. Olá!
    Esse é um dos livros da Gayle que eu quero muito ler. Tenho muita curiosidade para ver como ela tratou de temas tão delicados como a depressão e suicídio. Acredito que essa seja o tipo de leitura que nos faz pensar e refletir muito.
    Gostei da resenha e os pontos que você ressaltou.
    Beijos.


    Li
    Literalizando Sonhos

    ResponderExcluir
  11. Oie,
    Eu morro de curiosidade de ler algum dos livros da Gayle e com Eu Estive Aqui não é diferente. Essa é a primeira resenha que leio e estou bastante ansiosa pela leitura que parece ser densa e marcante, devido ao tema. Espero curtir bastante.

    Beijos,
    Andy - http://www.starbooks.com.br

    ResponderExcluir
  12. Olá!
    Eu nunca li nada da autora, mas tô com tanta vontade de ler esse livro que quase não me aguento e saio correndo para comprar. Só não fui porque esse mês tô -muito- falida ahaha!
    Sua resenha me deixou ansiosa pela leitura, quero muito conhecer a escrita da Gayle!
    Beijos!

    www.livrosdajess.com

    ResponderExcluir
  13. Rafaela Rodrigues31 de julho de 2015 21:34

    Hey!
    Eu nunca li nenhum livro da Gayle, apesar de eles serem praticamente esfregados na minha cara por amigas haha. De novo, acho que consegui resistir porque ele não me chamou a atenção. Acho que é o momento que não combina com o tema do enredo, sabe? :(
    Beijos!
    http://laoliphant.com.br

    ResponderExcluir
  14. Olá; gostei muito da sua resenha. Ainda não li esse livro nem nenhum outro da autora, mas tenho vontade de começar por esse, que tem um tema que me interessa muito.

    ResponderExcluir
  15. Amei tanto esse livros ❤️ Eu já conhecia a autora e gostava bastante da forma como ela trata assuntos delicados, mas ela me ganhou irrevogavelmente ai. Aliás, ótima resenha.

    www.itgeekgirls.com

    ResponderExcluir
  16. Esse livro foi tocante e triste. Eu amei a leitura, foi o primeiro livro que eu li da autora, e adorei a escrita dela. Quero ler outras obras logo! rs

    www.apenasumvicio.com

    ResponderExcluir
  17. Olá! Estou louca pra ler esse livro, preciso apenas de tempo. Já li várias resenhas que dão pontos positivos pro livro. Adorei sua resenha, obrigada!

    Beijão da Lari!
    http://brilliantdiamond-bg.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  18. Olá, tudo bem?
    Nossa, eu não tinha imaginado que o livro era assim, tão profundo. Imaginei que fosse um suspense. Que coisa :( Mas me deu ainda mais vontade de ler. Beijos <3

    ResponderExcluir
  19. Oi ^^ eu nunca li nada de Gayle, mas não me falta vontade. tenho esse e o outro livro aqui em casa, mas estou com certo receio de não gostar sabe?
    curti sua opinião. quem sabe eu não me arrisque na leitura.

    ResponderExcluir
  20. Olá.
    Tudo bom?
    Nunca li nada da autora,mas imagino que escrever sobre depressão e suicídio, não deve ser fácil e sou assim como você, sempre vejo a parte final da história, pensei que fosse a única.
    Adorei sua resenha.
    Beijos

    ResponderExcluir
  21. Angélica Felix Lima3 de agosto de 2015 20:31

    Oi, tudo bem?

    Gostei muito desse livro e depois dele fiquei com vontade de ler os outros livros da autora que tenho aqui, só falta tempo...

    Bjs

    http://a-libri.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  22. Oi, Nina!
    Eu também lia a última frase do livro antes de começar a lê-lo, tinha um ritual assim, parecido com o seu. Até o dia em que a última frase deu uma pista bem concreta de como terminaria o livro, o que estragou tudo. Desde então, eu não faço mais isso! Hahaha
    Sobre o livro em si, eu já havia lido inúmeras resenhas sobre ele, mas foi a sua a que mudou completamente o meu ponto de vista. Eu não pretendia ler esse livro e nem dava muito valor a ele apesar da temática (aliás, aproveito aqui pra te indicar "Norwegian Wood", tem resenha dele no meu blog).
    Mas você contou como a autora se inspirou para escrever o livro, e isso me pegou de jeito. Nossa, a depressão é um problema sério. Eu já vivi isso de perto quando tinha 17 anos, e sei como é. É preciso que estejamos sempre ligados às pessoas que estão à nossa volta, que percebamos como as nossas pessoas queridas estão agindo. Porque esse tipo de doença, quando fica óbvia, é porque já chegou longe demais.
    Bela resenha, Nina! Me convenceu, lerei o livro.
    Um abraço,
    www.literasutra.com

    ResponderExcluir
  23. Eu estou louca por esse livro e apesar de ter um assunto forte ele me agradou muito
    Sua resenha ficou muito boa
    Beijos
    Myself here

    ResponderExcluir
  24. Amanda Michel Raupp7 de agosto de 2015 16:25

    Oii!

    Quero muito ler esse livro! A promissa dele é maravilhosa :) Adoro a escrita da Gayle ^^ Parabéns pela resenha!

    Beijos, Amanda

    www.vicio-de-leitura.com

    ResponderExcluir
  25. Oiii.
    Ouço falar maravilhas desssa autora, mas ainda não tive o prazer de ler nehum livro dela, espero poder ler esse livro,pois adorei a premissa e a sua resenha ficou ótima, Parabéns. ♥♡♥♡♥♡
    Bjs;-);-)
    http://leiturasdamary.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  26. Eu adoro essa autora, mesmo que as pessoas não gostem tanto de se eu ficar EU adoro. Acho que a sutiliza que ela trata assunto tensos é um dom maravilhoso. Eu estou ansiosa para ler este livro, estou realmente animada, especialmente após a sua resenha. Acho que eu tb darei 5 estrelas.
    www.euinsisto.com.br

    ResponderExcluir
  27. Oi Nina!
    Eu amo a Gayle, mas como te contei no zap zap, pequei o spoiler sobre o livro e odiei isso, porque o livro ficou SUPER previsivel pra mim. Mas, também acho que gayle escreveu um alerta, um livro denuncia e amei!
    Beijos


    LuMartinho | Face

    ResponderExcluir
  28. Nossa, temos opiniões totalmente diferentes sobre o livro... que pena que você não gostou muito., mas, cada pessoa é diferente, que bom! isso é o que move o mundo! kkk :)
    Gayle Forman trabalha com um tema realmente impactante e nos chama a atenção sobre isso. A depressão é uma doença, e se não tratada como tal, pode ter consequências irreparáveis.
    Eu estive qui foi um livro que realmente mexeu comigo, a história me prendeu de uma maneira que não consegui largar o livro e tive que terminá-lo de uma vez.
    Realmente acho esse livro fantástico, definitivamente entrou na minha lista de favoritos!

    ResponderExcluir
  29. Gayle Forman trabalha com um tema realmente impactante e nos chama a atenção sobre isso. A depressão é uma doença, e se não tratada como tal, pode ter consequências irreparáveis.
    Eu estive qui foi um livro que realmente mexeu comigo, a história me prendeu de uma maneira que não consegui largar o livro e tive que terminá-lo de uma vez.
    Realmente acho esse livro fantástico, definitivamente entrou na minha lista de favoritos!

    Sua resenha ficou incrível!

    ResponderExcluir

Oi! Muito obrigada pela visita!
Deixe aqui seu comentário, vou adorar receber!
B-jussss! ♥
;-p

Frase da Semana

"Ler é comer e beber. O espírito que não lê emagrece como um corpo que não come."

Victor Hugo

QUEM LÊ, SABE PORQUÊ - Copyright © 2013 - Todos os Direitos Reservados