Dez Formas de Fazer um Coração se Derreter - Sarah MacLean


MACLEAN, Sarah. Dez Formas de Fazer um Coração se Derreter. Tradução Fabiana Colsanti. São Paulo: Editora Arqueiro, 2016. 352 p. (Os Números do Amor, v.2). Título original: Ten ways to be adored when landing a lord. Skoob.

Sinopse

“Uma história arrebatadora, sensual e comovente, que não deixa nada a dever ao primeiro livro. Os personagens nos conquistam e o ritmo perfeito da trama, junto com os diálogos magistrais, multiplica o prazer.” – Romantic Times Book Reviews

Isabel Townsend não é exatamente o que se espera da filha de um conde. Apesar de ter a pele delicada e de saber se portar como uma dama quando necessário, a jovem também monta a cavalo, conserta telhados, administra a propriedade e cria o irmão caçula desde que a mãe faleceu – tudo isso sem despertar a menor suspeita de que não há um homem sequer para cuidar de sua família.
Para o pai dela, que só queria se divertir e gastar dinheiro em jogatinas, pouco importava o que ela fizesse. Porém, quando ele morre, Isabel se vê sem recursos e precisa defender os direitos do irmão, ameaçados pela chegada iminente de um tutor. Assim, não lhe resta saída senão vender sua coleção de estátuas de mármore, o único bem que herdou.
Para sorte sua, um especialista em antiguidades acaba de chegar ao condado. Inteligente e sensual, lorde Nicholas St. John é um solteiro convicto que deixou Londres para se livrar das jovens que passaram a persegui-lo desde que foi eleito um dos melhores partidos da cidade.
Em poucos dias, fica claro para Nick que Isabel é a mulher mais obstinada e misteriosa – além da mais interessante – que já cruzou seu caminho. Ao mesmo tempo, ao conhecê-lo melhor, a independente Isabel percebe que há homens em que vale a pena confiar. Enquanto eles põem de lado suas antigas convicções, seus corações se abrem para dar uma chance ao amor.

Finalmente li o segundo volume da série “Os Números do Amor”. Apesar da autora Sarah MacLean ser considerada uma referência nos romances de época, confesso que não curti muito o primeiro livro e acabei protelando bastante a leitura do segundo. Mas isso acabou sendo muito bom, porque lendo sem grandes expectativas acabei entendendo porque tantos amam a autora!

Em Dez Formas conhecemos Isabel Townsend, uma bela e jovem filha de um conde, que recebeu uma educação esmerada e sabe como se comportar como uma verdadeira dama, mas que esconde um grande segredo. Seu pai sempre levou uma vida de libertinagem, envolvido em jogos e bebidas, tanto que ele é conhecido como Conde Perdulário, e isso fez com que Isabel tivesse que assumir os cuidados com a fazenda e com o irmão caçula, já que são órfãos de mãe. Por causa do desleixo do pai, ela perdeu a confiança nos homens, principalmente porque vários deles já tentaram reivindicá-la como prêmio quando o pai a perdia nas cartas.

Após a morte do pai, Isabel e o irmão se veem sem um vintém, mas como a moça nunca foi do tipo frágil e desprotegida, ela começa a articular planos para salvar sua casa. Isso porque seu comportamento progressista e suas defesas contra os homens que a abordavam por a terem ganho nas cartas, fizeram com que ela ficasse conhecida na região e logo mulheres que fugiam de um casamento indesejado ou da família, começaram a procurá-la para pedir ajuda. Assim, Isabel fundou a Casa de Minerva, um lugar onde mulheres poderiam se sentir protegidas, mas a casa agora está em perigo por causa de sua frágil situação financeira. A saída de Isabel é vender uma valiosa coleção de esculturas em mármore e, em busca de um antiquário que avalie as peças, ela conhece Nicholas St. John.

Nick é irmão gêmeo do Marquês de Ralston, o protagonista do primeiro livro. Ele acabou de ser eleito como o solteiro mais cobiçado da temporada e isso o faz alvo de todas a mães alcoviteiras e mocinhas da casadoiras da sociedade, e como o casamento não está entre seus planos mais próximos, ele decide deixar a cidade. Assim, ele vai ajudar a encontrar a irmã do duque de Leighton que está desaparecida e sua busca o leva à Isabel Townsend.

Com tantos interesses em comum, os dois acabam se envolvendo ao mesmo tempo em que não desejam se envolver. Será que a atração entre os dois será forte o suficiente para fazê-los superar seus receios e traumas?

Ao contrário do que eu percebi lendo outras resenhas de Dez Formas, fui uma das poucas pessoas que gostaram muito mais deste livro do que do anterior, e o motivo foi Isabel. Ela é determinada, muito corajosa e tem seus motivos para não querer se envolver. Nick é o mocinho perfeito, daqueles que nos fazem suspirar lendo. Atencioso, simpático, muito sensual sem deixar de ser um cavalheiro, sinto que já temos o primeiro candidato para o Top Piriguetagem Literária 2017.

A narrativa de Sarah MacLean é maravilhosa, ela conduz a história com maestria e sabe dosar romance, comédia e ação na medida certa para nos manter presos à leitura. E, como no livro anterior, ela traz um forte discurso feminista no enredo que me agrada muito. Dessa vez ela discute a sororidade, a importância de nós mulheres nos ajudarmos e apoiarmos.

E se você não leu o primeiro livro, pode ler o segundo sem problemas pois as histórias são independentes, mas como se passam no mesmo universo, você pode encontrar algum spoiler do anterior. Eu só insisto que você leia esse livro, principalmente se, como eu, você for um amante do Romance de Época, é impossível não gostar!

Série Os Números do Amor



  1. Nove regras a ignorar antes de se apaixonar
  2. Dez formas de fazer um coração derreter
  3. Onze leis a cumprir na hora de seduzir

A Autora

Sarah MacLean passou boa parte da infância em meio a livros e bibliotecas, o que lhe inspirou o amor tanto por fatos históricos quanto por romances ficcionais. Formada pela Smith College e pela Universidade de Harvard, ambas em Massachusetts, foi quando se mudou para Nova York que Sarah finalmente decidiu unir suas maiores paixões e escrever o primeiro livro. Desde então, suas obras já entraram na lista de mais vendidos do The New York Times, do The Washington Post e do USA Today, além de terem sido traduzidas para mais de vinte idiomas.
Vencedora do prêmio RITA na categoria Romances de Época, Sarah MacLean também é colunista do The Washington Post. Ela ainda mora em Nova York, com o marido e a filha.

Avaliação (5/5)






B-jusssssss! ♥
;-p

Comente com o Facebook:

Um comentário :

  1. Oiiii... Amo, amo, amo romance de época!!! Ainda não li esta série, mas está na minha lista. Mesmo as histórias sendo independentes, como a maioria das séries de época são, eu gosto de ler na ordem, sabe. Eu ainda não li nada da Sarah, mas ouço falar muito bem. Espero poder ler em breve estes e outros livros da autora.
    Beijos

    ResponderExcluir

Oi! Muito obrigada pela visita!
Deixe aqui seu comentário, vou adorar receber!
B-jussss! ♥
;-p

Frase da Semana

"Ler é comer e beber. O espírito que não lê emagrece como um corpo que não come."

Victor Hugo

QUEM LÊ, SABE PORQUÊ - Copyright © 2013 - Todos os Direitos Reservados