Pássaros Feridos - Coleen McCullough (Desafio Literário)

Pássaros Feridos é uma saga sobre a família Cleary - Paddy, Fiona e seus quatro filhos, especialmente Meggie, a única menina.

Paddy é um tosquiador de carneiros que se casa com Fiona, uma jovem aristocrata e rica, porém o casamento acaba desando após uma traição de Paddy. Eles vivem na zona rural da Nova Zelândia e a situação finaceira da família não é boa. A história começa no ano de 1915, no aniversário de quatro anos de Meggie, e até 1921 a autora nos conta sobre a luta da família para sobreviver com dignidade. Quando Meggie está com dez anos, a família muda-se para a Austrália, onde Paddy vai ser administrador de uma grande fazenda chamada Drogheda, de propriedade de sua irmã Mary Carson, que ele não via há muitos anos.

Mary é uma mulher muito rica, esperta e malvada e está cansada de viver, porém ela não tem herdeiros, além de seu irmão. Ela tem uma relação estranha com o jovem e belo Padre Ralph de Bricassart, que é muito ambicioso e sonha com um posto no Vaticano e é seduzido pelas generosas contribuições que ela faz a sua igreja.

Meggie e Ralph desenvolvem uma bela amizade que se transforma em amor quando ela vira mulher. A partir daí, Ralph vive um verdadeiro suplício, dividido entre seus votos a Deus e seu amor por Meggie. A vilã tia Mary, que nutria um amor secreto pelo padre, trata de usar sua fortuna para separar o casal e Ralph vai para o Vaticano enquanto Meggie casa-se sem amor com Luke, um peão da fazendo que é incrivelmente parecido com Ralph, só que muito rústico e violento.

O casamento de Meggie é infeliz, porém ela tem uma filha, Justine, que a prende a Luke.

Fugindo se seus destinos infelizes, Ralph e Meggie se encontram na ilha de Matlock, onde geram Dane, que vai ser criado como filho de Luke, graças a incrivel semelhança dos dois rapazes.

Ralph retorna ao Vaticano para ser cardeal sem saber que tem um filho e Meggie separa-se de Luke e retorna para Drogheda, para criar seus filhos. Os dois vão passar longos anos sem se verem, mas vão se reaproximar após o fim da Segunda Guerra, quando Ralph volta para a Austrália e Dane resolve ser padre.

Apesar de se prender à história de amor entre Ralph e Meggie, o livro fala principalmente da família Cleary, das tragédias (que são muitas!) e de suas lutas. Ele é dividido em três fases com foco em cada uma das três mulheres da famílias - Fee, Meggie e Justine. É muito interessante ver a relação que elas tem uma com a outra, uma certa frieza na trato misturada com entendimento mútuo.

O livro é emocionante, prende a gente até a última página. Mesmo a história sendo triste, eu garanto que é lindíssima! A autora descreve os sentimento com tanta perfeição que a gente fica triste com os personagens.
“Cada um de nós tem dentro de si alguma coisa que não pode ser negada, ainda que nos faça gritar, gritar, até o fim. Somos o que somos, e pronto. Como a velha lenda celta do pássaro com espinho no peito que canta até morrer. Porque precisa fazê-lo, porque é levado a isto. Podemos saber que vamos errar antes até de cometer o erro, mas o conhecimento de nós mesmos não afeta nem muda o resultado. Cada qual entoa seu canto, convencido de que é o mais maravilhoso que o mundo já ouviu. Você não vê? Criamos nossos espinhos e nunca nos detemos para avaliar o custo. A única coisa que podemos fazer é sofrer a dor e dizer intimamente que valeu a pena."
O livro virou uma série de sucesso que fez um estrondoso sucesso nos anos 80, eu nunca assisti, mas sei que já está disponível em DVD. Apesar de terem me alertado que o filme tem umas sete horas de duração, ficou louca de vontade de ver.




Bem peeps, espero que tenham gostado.

Essa resenha faz parte do Desafio Literário, e no mês de março lemos Obras Épicas. Confesso que foi um desafio e tanto fazer essa resenha, pq a história é enoooorme, são 524 páginas! Mas eu amei a leitura. Esse livro estava na minha estante há uns dois anos, e eu nunca tinha me inspirado a lê-lo, olha o tempo que perdi.

Eu comprei num sebo por quatro reais (acreditam?) mas eu pagaria quarenta agora que conheço a história. Indicadíssimo!

Resenhas do DL

Janeiro - Literatura Infanto-Juvenil: Lendas e Fábulas do Brasil
Fevereiro - Biografia e/ou Memórias: De Moto pela América do Sul

B-jusssss! ♥
;-p

Comente com o Facebook:

3 comentários :

  1. OI Nina!
    que resenha linda!
    Sou doida pra ler o livro, mas cadÊ a coragem??
    Conheço a histporia pela mininérie, que assiti uns anos atrás, em uma das muitas reprises do SBT. O Richard Chamberlain estava "maralindoso" como Ralph de Bricassart, AMEI a estória linda ( e triste) que eles vivem. Valeu muito por lembrar, e parabéns pela resenha!
    ...
    Bjusssssssssss

    ResponderExcluir
  2. Acho que o filme seja mais épico do que o livro no sentido de que alcançou maior notoriedade. Sem sombra de dúvida, deve ser uma narrativa belíssima!

    Beijocas

    ResponderExcluir
  3. Oi Nina!!
    Eu sou louca para ler esse livro ou ver o filme, mas ainda não li/vi nenhum dos dois.
    Quero ler o livro primeiro!
    Beijos

    ResponderExcluir

Oi! Muito obrigada pela visita!
Deixe aqui seu comentário, vou adorar receber!
B-jussss! ♥
;-p

Frase da Semana

"Ler é comer e beber. O espírito que não lê emagrece como um corpo que não come."

Victor Hugo

QUEM LÊ, SABE PORQUÊ - Copyright © 2013 - Todos os Direitos Reservados