Ligeiramente Casados - Mary Balogh

BALOGH, Mary. Ligeiramente Casados. Tradução: Ana Rodrigues. São Paulo: Editora Arqueiro, 2014. 288 páginas. (Os Bedwyns, v.1). Título original: Slightly married. Skoob.

Sinopse
“À beira da morte, o capitão Percival Morris fez um último pedido a seu oficial superior: que ele levasse a notícia de seu falecimento a sua irmã e que a protegesse "Custe o que custar!". Quando o honrado coronel lorde Aidan Bedwyn chega ao Solar Ringwood para cumprir sua promessa, encontra uma propriedade próspera, administrada por Eve, uma jovem generosa e independente que não quer a proteção de homem nenhum.Porém Aidan descobre que, por causa da morte prematura do irmão, Eve perderá sua fortuna e será despejada, junto com todas as pessoas que dependem dela... a menos que cumpra uma condição deixada no testamento do pai: casar-se antes do primeiro aniversário da morte dele o que acontecerá em quatro dias.Fiel à sua promessa, o lorde propõe um casamento de conveniência para que a jovem mantenha sua herança. Após a cerimônia, ela poderá voltar para sua vida no campo e ele, para sua carreira militar.Só que o duque de Bewcastle, irmão mais velho do coronel, descobre que Aidan se casou e exige que a nova Bedwyn seja devidamente apresentada à rainha. Então os poucos dias em que ficariam juntos se transformam em semanas, até que eles começam a imaginar como seria não estarem apenas ligeiramente casados...
Neste primeiro livro da série Os Bedwyns, Mary Balogh nos apresenta à família que conhece o luxo e o poder tão bem quanto a paixão e a ousadia. São três irmãos e três irmãs que, em busca do amor, beiram o escândalo e seduzem a cada página.”
Ligeiramente Casados é o primeiro livro da saga Os Bedwyns, que vai nos contar as peripécias amorosas de seis irmãos que estão mais do que acostumados ao luxo e ao poder. Órfãos desde muito cedo, eles sabem se virar sozinhos e relutam em aceitar a influência do irmão mais velho Wulff, o duque de Bewcastle.

Aidan Bedwyn é o mais austero entre eles, sempre escondido em sua fachada de militar. Sisudo e autoritário, nunca é visto sorrindo, e por isso se surpreende tando quando conhece Eve Morris, a irmã do homem que salvou sua vida e a quem ele ele jurou proteger “custe o que custar”. Ela é amável e piedosa e está sempre pronta a ajudar quem quer que seja, tanto que em sua casa todos os empregados são, de alguma forma, marginalizados na elitista sociedade do século XIX. E é para proteger essas pessoas do despejo certo que ela se submete a um casamento sem amor.

Até aqui temos um enredo extremamente clichê e um final mais do que previsível, e não é preciso ser um grande mestre da literatura para saber que mil coisas vão acontecer e forçar esse casal a conviver até que eles se vejam apaixonados. Não vou ser hipócrita e dizer para vocês que não é isso que acontece, já que todos nós sabemos que é. Então me perguntem: por que ler esse livro? Simples meus amigos, porque ele tem um diferencial - a autora Mary Balogh.

Ela não se limita a apresentar os personagens e a fazê-los se apaixonar, ela segue muito além disso. Ela constrói sua personalidade, explica seus medos e traumas e faz com que nos sintamos ligados a eles. O amor não surge do nada, tipo “te conheci e te amei”, são pequenos gestos e ações que vão atraindo a atenção um do outro até que a paixão seja a mais natural possível. E quando comecei a ler achei que amor entre Aidam e Eve era impossível, já que os dois são muito autossuficientes e pareciam não estarem dispostos a se render com facilidade. Além de serem completamente opostos, eles nem mesmo se gostavam! Mas com a convivência forçada, eles vão se descobrindo e se encantando um com o outro.

É claro que teve muita coisa que me incomodou, como o mau humor do coronel e a submissão da mocinha. Tudo bem que ele teve uma adolescência complicada e seus sonhos meio que frustrados, mas não consegui entender tanta sisudez no homem a ponto dele nunca sorrir. Gente, nunca é muito tempo! Já Eve quer ser tão independente, mas toda vez que se viu acuada agiu de maneira submissa e isso me decepcionou muito. Eu estava empolgada em ler um romance de época onde uma mulher cuidasse de sua vida sozinha, e não é isso o que acontece. Além do mais, o casal briga demais e por motivos tão insignificantes que o livro vai ficando enfadonho. Nada que vai nos fazer nos fazer desistir da leitura, mas confesso que fiquei um pouco decepcionada.

Resumindo: é um bom livro, muito bem escrito, mas do tipo que a gente lê e logo esquece. Espero um pouco mais de intesidade nos próximos volumes da série.

Série Os Bedwyns
  1. Ligeiramente Casados
  2. Ligeiramente Maliciosos
  3. Ligeiramente Escandalosos
  4. Lingeiramente Seduzidos
  5. Ligeiramente Pecaminoso
  6. Ligeiramente Perigosos
A autora

Mary Balogh nasceu e foi criada no País de Gales. Ainda jovem, se mudou para o Canadá, onde planejava passar dois anos trabalhando como professora. Porém ela se apaixonou, casou e criou raízes definitivas do outro lado do Atlântico. Sempre sonhou ser escritora e tinha certeza de que, no dia em que escrevesse um livro, ele seria ambientado na Inglaterra do Período da Regência. Quando sua filha mais nova tinha 6 anos, Mary finalmente encontrou tempo para se dedicar ao antigo sonho. Depois de três meses escrevendo na mesa da cozinha, a primeira versão de sua obra de estreia estava pronta. Publicada em 1985, deu a Mary o prêmio da Romantic Times de autora revelação na categoria Período da Regência. Em 1988, depois de vinte anos de magistério, ela passou a se dedicar apenas aos livros. Hoje Mary Balogh é presença constante na lista de mais vendidos do The New York Times e vencedora de diversos prêmios literários.

Avaliação (3/5)





B-jussssss! ♥
;-p

Comente com o Facebook:

14 comentários :

  1. Oi Nina!
    Ah, que pena. Adoro romances de época, mas não gosto de mais do mesmo e pelo que você disse, esse livro não passa de mais do mesmo, mesmo que a autora consiga formar personagens complexos.
    Fiquei chateada, quando vi a capa já pensei "EU QUERO", mas ai fui lendo sua resenha, lendo... E broxei T_T
    Adorei sua honestidade na resenha!
    Beijos!

    http://lumartinho.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Eu sou louca para ler esses romances de época e a saga Os Bedwyns já está na minha lista de desejados.
    Apesar de ser mais um clichê bem previsivel

    http://lisos-somos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oi oi Nina, tudo bem?


    Gostei desta história eu poderia ler se não fosse uma série, ainda mais que há duques/coronel ♥
    Me lembrou um pouco das novelas que passam na globo, ás das 19h 18h kkk


    - Fora do post, que legal que seu blog é licenciado pelo CC, ano passado tive um GRANDE trabalho sobre ele. Muito legal!!


    Beijos!
    jeehsts.wordpress.com

    ResponderExcluir
  4. Eu não sou a maior fã dos romances de época. Eu curto mas eles não ocupam a maior parte da minha estante. Comentaram comigo que esse é um dos mais fraquinhos que a Arqueiro está trazendo...
    Aí eu li que ele é cliche e previsível e fiquei pensando se deixaria passar...
    Mas como você diz que a escrita da Mary é um diferencial, então acho que daria uma chance, mesmo não sendo um livro inesquecível.

    Beijinhos,
    Lica
    http://www.amoreselivros.com.br

    ResponderExcluir
  5. Oi Nina, gostei da sinceridade na resenha. Eu acho que talvez a autora quis enfatizar essa coisa de época mesmo, quando as mulheres eram submissas em qualquer situação, mesmo pq o que vemos sempre são heroínas de época que estão a frente do seu tempo, sei lá... Mas o ponto que você focou sobre a construção dos personagens achei interessante, isso sempre me atrai na leitura. Bjs

    ResponderExcluir
  6. Oi Nina!
    Como romance não é um gênero que curto ler (principalmente porque eles costumam ser recheados desses clichês que você falou), o livro não me chama a atenção. mas é bom saber que a autora conseguiu manipular os clichês de forma a escrever um livro envolvente (mesmo com as coisas que irritaram você)
    Beijos,
    alemdacontracapa.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. Olá! Tudo bom?

    Primeira vez que conheço seu blog, já estou seguindo! *-* Adorei seu lay, sempre gosto do dos outros e não do meu, IEHEHEUHO
    Sobre o livro, ainda não li NADA da autora... :| Mas quero muito mudar isso.
    E sabe que você dizer que o livro é clichê não me incomodou tanto do que saber que a mocinha é submissa? odeio! esse tipo de personagem, mas acho que lerei mesmo assim, porque adoro romance de época, então né... beijos

    www.apenasumvicio.com

    ResponderExcluir
  8. Desbravadores de Livros21 de fevereiro de 2015 18:26

    Confesso que não sou o maior fã de romances, mas um bom romance de época sempre é interessante.
    Apesar de o livro não ser perfeito e a personagem ser menos perfeita ainda, acho que dá para ter uma boa leitura.
    Ótima resenha.

    M&N | http://desbravadoresdelivros.blogspot.com.br - Participe do nosso top comentarista de fevereiro. Você escolhe o livro que quer ganhar!

    ResponderExcluir
  9. Oi Nina!

    Olha, eu não gosto muito de livros de romances. E muito menos de romances de épocas. É claro que eu falo isso pelo meu gosto literário, mas não posso garantir que não iria gostar do livro porque ainda não li. E não pretendo ler.

    Gostei bastante da sua resenha, mas a premissa do livro não me atraiu o quanto eu esperava.

    Beijos

    http://ummundochamadolivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Olha eu sinceramente até então nao tive muita vontade de ler esse livro, mesmo se tratando de um romance que eu adoro, mas mesmo assim vou ver se leio assim que tiver alguma oportunidade, porque por agora estou lotada de leitura e com certeza não o pegarei para ler agora. Mas mesmo assim adorei sua resenha. Me parece ser uma história maravilhosa. =]

    lovereadmybooks.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  11. Quero muito ler essa série, aliás, todas da editora. Adoro romance de época. < 3
    Não me importo de clichês, nem nada, na real adoro! rs
    beijos

    www.apenasumvicio.com

    ResponderExcluir
  12. Eu gostei bastante do enredo do livro em geral, mas tive muita dificuldade com os personagens. Apesar da escrita do livro ser muito boa, os personagens não me convenceram de que estavam apaixonados um pelo outro, e isso me deixou muito incomodada durante a leitura. Em geral, achei o livro bem fraco, comparado a outros livros da mesma temática.

    laoliphant.com.br

    ResponderExcluir
  13. Ei Nina


    Eu gostei, mas não amei também. Não gostei como das minhas queridinhas Os Hathaways e Os Bridgertons.
    Mas tenho uma boa notícia, uma amiga minha já leu até o 3 ou 4 em ebook e falou que são ótimos, que a série melhora muito. \o
    bjs

    ResponderExcluir
  14. Oi Nina,
    Acho que esta virando febre essas series que contam cada livro a historia de um homem gostosão da família kkkkkkkkkkkkkk
    A história parece bem clichê mesmo, mas o que seria de nós sem elas kkkkkk, com relação a romances de épocas, me arrisco a te indicar Sedução da Sylvia Day! Os romances de época dela são simplesmente divinos, amo de paixão!!!
    Se eu conseguir prometo ler esse!


    Beijokas


    www.paraisodasideas.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Oi! Muito obrigada pela visita!
Deixe aqui seu comentário, vou adorar receber!
B-jussss! ♥
;-p

Frase da Semana

"Ler é comer e beber. O espírito que não lê emagrece como um corpo que não come."

Victor Hugo

QUEM LÊ, SABE PORQUÊ - Copyright © 2013 - Todos os Direitos Reservados