Outlander: A Cruz de Fogo, parte 1 - Diana Gabaldon


GABALDON, Diana. Outlander: A Cruz de Fogo, parte 1. Tradução Carolina Caires Coelho.São Paulo: Editora Arqueiro, 2017. 720 p. (Outlander, v.05). Título original: The fiery cross. Skoob.

Sinopse
“O ano é 1771. Na Carolina do Norte, conserva-se a duras penas um frágil equilíbrio entre a aristocracia colonial e os esforçados pioneiros. E entre esses dois lados prestes a entrar em conflito está Jamie Fraser, um homem de honra exilado de sua amada Escócia. Convocado a liderar uma milícia para conter as insurgências, ele sabe que quebrar o juramento que fez à Coroa inglesa o tornará um traidor, mas mantê-lo será a certeza de sua ruína.
A guerra se aproxima, garantiu-lhe sua esposa, Claire Randall. E, mesmo não querendo acreditar nesse triste futuro, Jamie Fraser está ciente de que não pode ignorar o conhecimento que só uma viajante do tempo poderia ter. Afinal, a visão única de Claire já os colocou em risco, mas também lhes trouxe salvação.
A cruz de fogo é uma envolvente história sobre o empenho de Jamie em proteger sua família, construir uma comunidade e manter suas terras às vésperas de um conflito histórico. Nesses esforços, ele é ajudado por sua mulher, sua filha Brianna e seu genro Roger MacKenzie, que nasceram no século XX e agora tentam se adaptar à tortuosa vida do século XVIII.”

COMO EU AMO OUTLANDER! ♥

Sei que esse é um jeito nada ortodoxo de começar uma resenha, mas, depois de olhar para uma folha em branco por minutos, esse foi o único pensamento que me ocorreu. Esperei por esse volume ansiosamente, louca para saber como se desenrolaria a história de Claire e Jamie no Novo Mundo, e agora vou compartilhar minhas impressões com vocês. Mas não posso prometer uma resenha livre de spoilers, pois no quinto volume da série, o enredo já se transformou tanto que fica quase impossível não entregar nada. Mas não se preocupem, prometo não falar nada além do que já está claro na sinopse.

Depois de vinte anos de separação, de se reencontrarem de uma maneira emocionante e enfrentarem o oceano em busca de uma nova oportunidade; de terem a chance de conviver com a filha Brianna e de perderem pessoas que amam muito; Claire e Jamie acreditam que enfim podem viver em paz. Eles receberam uma boa quantia de terras do governador, e depois de desbravarem a floresta e se conciliarem com os índios, eles podem chamar a Cordilheira dos Frasers de lar. Entretanto, é necessária uma vasta mão de obra para fazer com que tudo funcione bem, e Jamie decide trazer seus ex companheiros da prisão de Ardsmuir para trabalharem com ele como arrendatários.

Parece que enfim eles encontraram a paz, mas a revolução pela independência dos Estados Unidos se aproxima e Claire já alertou que uma grande guerra vai acontecer. Tudo o que Jamie quer é se manter longe da política, mas o governador convoca a milícia para conter os revolucionários e ele é nomeado coronel. Ele sabe que não pode recusar a nomeação ou perderá o lugar que tanto lutou para construir, mas também sabe que não pode marchar com seus homens para uma guerra perdida. Como em Culoden, mais uma vez o casal se vê entre a cruz e a espada.

“O arrepio tinha passado, e o sangue quente latejava na minha mão como se fosse reabrir a cicatriz antiga e derramar o sangue do meu coração por ele mais uma vez. A guerra viria, e eu não podia impedir.
Mas dessa vez eu não o deixaria.” (p.34)

Para quem está acostumado a ler Outlander, confesso que estranhei um pouco esse livro. Diana Gabaldon sempre foi muito cruel com meu coração, impondo aos personagens sofrimentos lancinantes e reviravoltas de tirar o fôlego, mas essa primeira parte de A Cruz de Fogo não foi assim. Muito pelo contrário, é um livro bem mais parado, tanto que o começo chega a ser meio monótono (foram mais de duzentas páginas para descrever um único dia da vida de nossos heróis). A autora narra tudo, nos mínimos detalhes, e os Fraser costumam mesmo fazer um milhão de coisas ao mesmo tempo.

É um livro em que os personagens fortalecem os laços como família e parecem resolver todas as dúvidas com a relação futuro/passado. Jamie e Brianna se entendem e ele começa a aceitar Roger como genro. Aliás, Roger enfim está me convencendo como mocinho, porque até aqui eu não conseguia vê-lo se encaixando na família Fraser. Mas tudo era uma questão de adaptação, ele é um jovem civilizado do século XX, como se adaptar as agruras do século XVIII? Quando Claire passou pelas pedras, ela tinha experiência o suficiente para conseguir se virar bem, era uma enfermeira de guerra, criada viajando pelo mundo por um tio arqueólogo nada ortodoxo. Ainda assim ela sofreu. Mas para Roger a adaptação é muito pior porque ele não foi embrutecido antes, e agora se vê a caminho de um campo de batalhas sem nunca ter dado um tiro sequer, e é claro que isso o assusta mas ele lida com isso da melhor maneira. Ele ama Brianna acima do seu medo da morte.

Enquanto Gabaldon narra o cotidiano dos Frasers na Cordilheira, ela consegue tecer o cenário histórico com uma fidelidade impressionante. Ela nos mostra como as Colônias inglesas aos poucos estão caminhando para se tornarem os Estados Unidos da América e confesso que estou cada vez mais apaixonada pela escrita dessa mulher mágica! Mesmo sendo esse o livro mais parado da série, eu não conseguia parar de ler porque ela me envolveu tanto na história que era como se eu estivesse lá, vivendo entre eles.

Como sempre, recomendo muito Outlander! Uma saga repleta de amor, guerra, tragédias e tradições e que merece ser lida e relida, mesmo com o imenso número de páginas (vá por mim, cada uma delas vale a pena!). Agora só me resta ansiar pela parte dois do livro e me preocupar, pois sinto que Diana Gabaldon foi tão cuidadosa nesse livro é porque vai destruir nosso coração no próximo.

Série Outlander
  1. A Viajante do Tempo
  2. A Libélula no Âmbar
  3. O Resgate no Mar (parte 1 e parte 2)
  4. Os Tambores de Outono (parte 1 e 2)
  5. A Cruz de Fogo (partes 1 e 2)
  6. Um Sopro de Neve e Cinzas (partes 1 e 2)
  7. Ecos do Futuro (partes 1 e 2)
  8. Written in My Own Heart’s Blood (ainda não lançado no Brasil)
A Autora

Diana Gabaldon cresceu no Arizona, EUA, e é de ascendência mexicana-americana e inglesa. Tem formação em Zoologia, Biologia Marinha e Ecologia. Foi professora universitária durante mais de doze anos antes de se dedicar à escrita em tempo integral. Sua série Outlander se transformou em um enorme sucesso mundial, tendo sido adaptada para a TV em 2014. Vive atualmente em Scottsdale, no Arizona.


Avaliação (4/5)






B-jussssssss! ♥
;-p


Comente com o Facebook:

9 comentários :

  1. Olá Nina!
    Ainda não li nenhum livro dessa série, mas tenho vontade, então, li sua resenha om medinho de pegar spoilers.
    Gostei muito de saber que você gosta de Outlander e que nesse volume os personagens estreitam seus laços familiares.
    Vou anotar a dica.
    Beijos ♥

    ResponderExcluir
  2. Oi Nina, está ai uma série que não a menor vontade de ler... peguei uma verdadeira antipatia. Tanto pelos livros como a série de TV. Fazia um tempo que não lia nada a respeito e achei que isso pudesse passar, mas não. Meus pensamentos continuam iguais... Mas fico feliz que goste, porque parece ser realmente uma história boa e ainda que as primeiras duzentas páginas tenham sido paradas, acredito que para você que curte, tenha gostado da leitura. Xero!!

    ResponderExcluir
  3. Oi, Nina!
    Você não faz ideia do quando quero ler essa série. Tipo, estou há tempos com eles na minha wish list, mas infelizmente não tive a oportunidade de comprá-lo ---'
    Amei sua resenha!

    ResponderExcluir
  4. Oi Nina, tudo bem?

    Ultimamente vejo tentas pessoas falando desta série que estou com uma vontade absurda de lê-la e conferir por mim mesma se é tão boa assim. Confesso, que fico meio receosa pela quantidade de páginas, tenho medo da autora não conseguir segurar a onda e passar a oferecer apenas mais de menos. Li umas 30 páginas do primeiro livro e parei, pois tenho tido muito pouco tempo. Adorei sua resenha, seu amor pela série apenas me estimulou mais!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  5. Suzana Chaves Linhares23 de abril de 2017 21:50

    Olá! Sempre vejo boas críticas a respeito desse livro! A premissa me atrai bastante e tenho curiosidade em ler. É a mesma da série de tv? Gostei bastante da sua resenha, dica anotada, beijos!

    ResponderExcluir
  6. Kamila Villarreal24 de abril de 2017 21:26

    Olá!

    Não é meu gênero favorito, mas parece ser um bom livro mesmo, admito que o volume me assusta um pouco, mas quem sabe eu veja a série em algum momento? E depois até compare com os livros...

    ResponderExcluir
  7. Olá...sempre vejo ótimas críticas sobre essa série, mas confesso que não tenho muito interesse no momento.

    Abraços

    ResponderExcluir
  8. Ola, tudo bem?
    Eu gostei bastante da sua resenha, mas fiquei um pouco perdida por não ter lido as demais.
    Mas essa série não tem chamado muito a minha atenção, espero aproveitar as férias e dar uma conferida na série de TV.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  9. Eu tenho medo de começar por ser uma série grande, mas como eu tenho vontade <3 hahaha
    Amei sua resenha! Beijos <3

    ResponderExcluir

Oi! Muito obrigada pela visita!
Deixe aqui seu comentário, vou adorar receber!
B-jussss! ♥
;-p

Frase da Semana

"Ler é comer e beber. O espírito que não lê emagrece como um corpo que não come."

Victor Hugo

QUEM LÊ, SABE PORQUÊ - Copyright © 2013 - Todos os Direitos Reservados